Visualizações de página do mês passado

segunda-feira, 25 de abril de 2011

“As mulheres na ressurreição de Cristo” é um agradecimento por Dilma


Gustavo Rosa homenageia a presidenta Dilma Rousseff

Fátima Oliveira


Dona Lô estava deitada no sofá da sala lendo uma revista quando começou a matutar, remoendo suas lembranças...
“Quando Gracinha ia fazer o ginásio um dia pegou minha mãe chorando e decidiu que não a deixaria sozinha. E aqui ficou nos horizontes curtos da Chapada do Arapari, por mais que mamãe dissesse que ela estava ‘cortando a sorte’ decidindo não estudar mais. Talvez sim, talvez não. Nunca se sabe. O certo é que ela ficou fazendo companhia à mamãe quando eu não estava aqui.

[Tays Rocha]

Poucos anos depois, um dia pegou uma barrigada numa vaquejada lá pelas brenhas. Assim nasceu Cesinha, que virou “o tudo” de mamãe e Gracinha a cozinheira. De carteira assinada. Antes, até ter Cesinha, era uma afilhada que morava com a madrinha. Assim herdei Cesinha de mamãe também. Ele é de minha responsabilidade, até o dia em que vestir a toga de juiz. Era o desejo de Donana, minha mãe, e assim será!
Agora Cesinha vai aparecer aqui trazendo uma namorada a tiracolo. E achando pouco, a mãe da namorada! Valei-me Santíssima! Foi o que pensei quando ele perguntou se poderia trazer duas visitas para a Semana Santa. Um pouco assustada, na dúvida, tive um clarão.
Pensei que era melhor eu conhecer as ditas cujas. Concordei. ‘Você vai dormir no quartinho da selaria, onde se hospedava Inácio Vaqueiro, para poder acomodar suas convidadas dentro de casa, em seu quarto’. O bichim ficou saltitante de alegria”.
Gracinha não gostou muito quando Dona Lô falou que parecia que Cesinha estava “encegueirado” com uma coleguinha; e que ela e a mãe viriam para a Semana Santa na Matinha.

[cottage_with_flowers.jpg]

– Viiiixe, pois tenho de falar com Zé Vaqueiro pra gente receber esse povo.
– Pucardiquê Gracinha? Cesinha não mora com você! As visitas dele quem tem de receber sou eu, pois não?
Ela ficou calada. Olhando de rabo de olho, Dona Lô não viu as lágrimas escorrendo no rosto de Gracinha. Não prestou muita atenção porque teve de atender o celular. Era Inácio Vaqueiro.
– Dona Lô, como vai Vosmicê? Não mereço, mas peço as minahs desculpas. Estou telefonando pra desejar felizes “Dias Grandes” pra Vosmicê. E também pra tomar uma opinião. Laurinha deseja mandar as crianças tomar benção ao pai pela Semana Santa. Vosmicê acha conveniente?
– Ô Inácio, onde já se viu ser inconveniente filho vir tomar benção ao pai? Vai mandar como e quando? Não quero nem você e nem Laurinha por aqui por perto, viu? Mexeu com Zé Vaqueiro, mexeu comigo... Logo, não quero nem dadas e nem tomadas com vocês por aqui... Não ensandeça o homem, sô!
– ...
– Zé Vaqueiro é do bem. Mas você sabe: cabra-macho, maxixe maduro, por essas bandas, não aceita, na paz, ser corneado, não! É uma baita besteira, coisa do tempo antigo, mas ainda é assim. Difícil de civilizar nosso povo daqui. Chifre existe desde que o mundo é mundo, né não? É como a morte, que é coisa certa, mas ninguém acostuma. E eu não quero Zé Vaqueiro metido em encrenca. Ele mesmo não vai se importar, já até casou de novo. Mas o povo vai ficar metendo fogo. Cê sabe como é que é lugar pequeno, onde todo mundo se conhece e sabe da vida de todo mundo.
– ...
– Por favor, não me leve a mal, mas também acho muito cedo pra você e sua mulher aparecerem lá pela Chapada do Arapari. Não os proíbo porque não sou dona de lá. Porque se fosse não queria ver nem o azul de vocês com dentes na fresca por lá. Estamos entendidos mestre Inácio?
–...
– Ah, ligue mais tarde que vou ter uma prosa com Zé Vaqueiro. Daqui a umas duas horas telefone outra vez, que ele está nas quintas e deve voltar pro almoço. Hoje é terça-feira. Vamos vê se ele pode hospedar tanta gente: babá, motorista e três crianças. Até a criança que é sua filha, já estou sabendo, vai vir? Cê que sabe! Caber até que cabem todos na casa, mas é preciso a gente olhar tudo direitinho. E Zé Vaqueiro tem de dar o aceite, oxente! Até mais.
E dirigindo-se a Gracinha: “Você ouviu. Era Inácio Vaqueiro. Já entendeu que terá visitas na Semana Santa, não? Claro que seu marido vai querer ver os filhos. Melhor que venham, né não Gracinha? Você não vai ter sossego por esses dias. Só trabalho em cima de trabalho. Tem de fazer o almoço aqui da casa todos os dias junto com Maria Helena, porque ela sozinha não dá conta. A janta a gente se vira. Teremos muitas mulheres na casa. Não vai cair a mão de ninguém fazer jantar por uns dois dias.”
– ...
– É muita gente. Isso aqui vai fervilhar de gente, como de costume.
– Quem vai vir tanto, Dona Lô?
– Vamos contar: Estela com toda a catrevagem: quatro pessoas; Cesinha com a namorada e a mãe dela, dão três; o povo da boiada, vem todo: Dr. Jonas, sua mulher Mariá e a filha, a Dra. Helena; o desembargador Elpídio Lobato e os dois filhos: João e o Dr. Francisco de Paula; o Dr. Graciliano, veterinário aqui da Matinha, com uma nova namorada, que ali é cabra vira-folha quando o assunto é mulher. Femeiro demais, minha rosa! São nove. Totalizando: quinze pessoas. Agora bote mais Mãe Zefinha e o povo de Zé Vaqueiro: os três filhos de Laurinha, o motorista e a babá deles, total de cinco. Assim teremos umas vinte e uma pessoas pelos Dias Grandes. Casa cheia, a cara de Donana.
– Hemhem. Mermim, Dona Lô! Sem problema, a compra de comida desses dias foi feita pra trinta pessoas. Sem falar no bacalhau para a sopa da Sexta-feira da Paixão, os dez quilos de costume de toda Semana Santa. Foi a conta que fiz com Maria Helena. Não vai faltar nada!
– Então, tudo nos trinques!
Mãe Zefinha, acabava de chegar e foi logo entrando na conversa... Mas com assunto novo.
– Ô Lô, o motorista passou lá em casa pra pegar um tacho, a mando de Gracinha, e eu achei por bem vir logo, mía fia... Como tu tá?
– Benção, Mãe Zefinha! Tô aqui vendo umas coisas para receber meus convidados...
– Ô Lô tão falando que vai ter um drama “deferente” esse ano no Domingo de Páscoa... É verdade, fia?
– Hemhem... Mas o que estão falando, hein?



– Umas coisa estranha, fia. Tu sabia que existia uma Santa Maria Madalena? “Dizqui" tem inté igreja com o nome dela...
– Sabia. E a senhora nunca ouviu falar nela?
– Oxé, nunca, nunquinha... A única Madalena que eu sei que tem é aquela que Jesus perdoou os pecados, que era mulher da vida. Ora, e mulher da vida lá vira santa, Lô? Como pode? Peca, peca até se danar depois vira santa?
– Ih, Mãe Zefinha, Deus não perdoa tudo? Por que não perdoaria a uma mulher da vida arrependida, hein senhora? Deixe de bobagem! E o drama que vai haver na Páscoa não é só sobre Maria Madalena, não! Será sobre todas as discípulas de Jesus. Por isso é que tem o nome de “As mulheres na ressurreição de Cristo”. São várias...
– ...
– No Novo Testamento Maria Madalena é descrita como uma das discípulas mais dedicadas de Jesus Cristo. Cristo tinha os doze apóstolos e mais de setenta discípulos e discípulas que o acompanhavam. Ela é uma santa para as igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana. O dia de Santa Madalena é 22 de julho. Há muitas igrejas a ela dedicadas pelo mundo todo.







– “Dizqui” tem mermo um magote de muié que seguia Jesus! Agora me alembrei. Iscutei vocês falando naquele dia lá da reunião. Mas num tinha compreendido que uma delas tinha virado santa. Agora, nesses cunverseiro de boca de noite, é que a fuxicada tá correndo solta. Minina tão falando inté que Jesus era casado cum ela, essa tal de Maria Madalena! Viiiiiiiixe, num pode né não, Lô? Jesus era solterim, solterim. E morreu solteiro, oxé! Solterim da silva! Toda vida eu “sube” assim...


Ficheiro:Igreja de Santa Maria Madalena-Braga.jpg
Na Serra de Falperra, em Braga, Portugal a Igreja de Santa Maria Madalena, construída por ordem do arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles. É um harmonioso monumento em estilo barroco, precedido por uma ampla escadaria, de acordo com a tipologia comum aos santuários mais próximos.
– Ih, Mãe Zefinha! Hemhem. Tem muita conversa. Mas o que se sabe mesmo é que todas as mulheres que conviveram e que seguiram Jesus, da Galileia até Jerusalém, desempenharam um papel de muita importância na vida e após a morte dele: Maria Madalena foi a primeira pessoa a ver Jesus Cristo ressuscitado, é o que dizem as escrituras, ou não é? Maria, a mãe de Jesus, Verônica, Tecla, Susana, Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Maria de Betânia, a irmã de Marta e de Lázaro, que ungiu Jesus para o sepultamento, Maria mãe de Tiago, e Salomé, a mãe dos filhos de Zebedeu. Acho que havia mais mulheres, mas só estou lembrando-me dessas. É que os padres são machistas mesmo, não falam.

"Nos evangelhos Maria Madalena é a mulher mais citada pelo nome. Além disso, ela aparece sempre realizando funções muito importantes para as origens do Cristianismo:
* como discípula de Jesus (Lc 8,1-3).
* como testemunha da sua crucifixão (Mc 15,40-41; Mt 27,55-56; Lc 23,49; Jo 19,25).
* como testemunha do seu sepultamento (Mc 15,47; Mt 27,61).
* como testemunha da sua ressurreição (Mc 16,1-8; Mt 28,1-10; Lc 24,1-10; Jo 20,1;20,11-8).
* como enviada aos Onze com uma mensagem de Jesus (Mt 28,10; Jo 20,17-18)".
[Maria Madalena e as outras Marias, por por Mercedes Lopes]

Procissão de Santa Maria Madalena em União dos Palmares, Alagoas
– Sei não Lô, pucardique tu tá mexendo nisso, fia? E se os padres não gostarem? E o bispo, o que queria contigo, será que soube desse negócio de Santa Maria Madalena?
– Que padre, que bispo, senhora? E eu lá tenho medo deles. Não vou fazer nada nas igrejas deles. Vou fazer na minha capela, que o povo da Chapada do Arapari vai herdar quando eu morrer! Aqui mando eu! Vou falar sobre as mulheres na vida de Jesus. E não é mentira, elas existiram. E ponto final.
– Santíssisma! Num se afubele não, mulher! Eu tô só perguntando.
– Seeeeeeeeeeeeeeeeei! Num tô afubelada nem um tiquim. Espie, escute: falando das discípulas de Jesus, dando conhecimento ao povo que elas existiram, estamos dizendo a Deus da nossa alegria e da nossa gratidão de termos Dilma como presidenta. Ou não estamos?
–...
– Maria Helena, leve Mãe Zefinha pro quarto dela, fazendo favor. Ela não dá conta de levar a sacola sozinha. Vá cochilar, senhora! Já conversou demais por hoje! Daqui a pouco mando chamá-la pra almoçar. Deve estar fraquejada por causa do jejum. Sei que está jejuando desde segunda-feira.
– E é mermo, fia! Eu jejuo de segunda até Sexta-feira da Paixão. Donana também jejuava assim que nem eu... Ah, Lô agora estou compreendida, fia! É bom que a professora fale na hora do drama para evitar confusão e fuxicada dos povos, né não Lô? Eu achei a benzeção dos ramos no domingo muito bonita, não foi Lô? Celestina tirou uma ladainha das mais bonitas. Assim eu achei. Ela me disse que na Sexta-feira da Paixão é certo tirar a ladainha daqui da Matinha. Me diga, vai ter a Sopa de Bacalhau de Donana depois da ladainha?
– Mãe Zefinha, tudo do mesmo jeitim que mamãe fazia toda Sexta-feira da Paixão. Sopa de bacalhau e pão de batata. Uma caneca de sopa e um pão para cada pessoa que estiver na ladainha. É por isso que só entram as pessoas que confirmaram a presença. Nunca foi uma coisa pra todo mundo. Mamãe encerrava em cem pessoas. Continuo fazendo do mesmo jeitim. E quem dá as ordens da sopa, como sempre, é a senhora. Tempero Mãe Zefinha!
– Tá bem! Quero mermo descansar o esqueleto um tiquim pra tapear a fome.

Fazenda Matinha de Dona Lô, Chapada do Arapari, 25 de abril de 2011




Sopa de Bacalhau de Donana
(com ervas e engrossado com macaxeira e farinha seca)
Ingredientes:
500 g de bacalhau dessalgado
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
3 dentes de alho picados
2 cebolas picadas
1 folha de louro
1 colher das de sopa de alecrim seco
1 tomate grande
Salsa ou coentro a gosto
Cebolinha a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
1/2 quilo de mandioca
1 xícara de farinha seca
1 copo de vinho branco
2 litros de água


Modo de fazer:
1. Dessalgue o bacalhau de véspera e o desfie em lascas;
2. Esquente o azeite em uma panela e doure o alho e a cebola. Junte a salsa ou coentro, o alecrim e o tomate e refogue por 10 minutos;
3. Refogue o bacalhau;
4. Junte o vinho e a água;
5. Acrescente a macaxeira cozida com a água do cozimento dela;
6. Leve à fervura, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 30 minutos;
7. Acerte o sal e acrescente a pimenta-do-reino e cebolinha picada; e
8. Se o caldo ficar ralo, acrescente a farinha seca para engrossar.
(Suficiente para dez pessoas)
Festa de Santa Maria Madalena, em União dos Palmares, Alagoas
Programação da Semana Santa na Chapada do Arapari
1. Domingo de Ramos
. 17:00 - Ladainha e aspersão de água benta nos ramos (Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição)
2. Quinta-feira Santa
. 18:00: Drama: Lava-pés (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
3. Sexta-feira da Paixão
. 17:00: Ladainha na Capela de Santa Luzia, na Matinha de Dona Lô
4. Sábado de Aleluia
10:00: Malhação de Judas (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
5. Domingo de Páscoa
10:00. Drama: “As mulheres na ressurreição de Cristo” (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
12:00. 6º. Almoço Comunitário de Páscoa da Chapada do Arapari

15 comentários:

  1. Hemhem minha gente, Dona Lô resgatou Santa Maria Madalena. Valeu!

    ResponderExcluir
  2. Sou devota de Santa Maria Madalena
    ....

    Oração à Santa Maria Madalena -
    Protetora das mães solteiras - (22 de Julho)

    Santa Maria Madalena, vós que ouvistes da boca de Jesus estas palavras: “Muito lhe foi perdoado porque muito amou... vai em paz, os teus pecados estão perdoados”, alcançai-me de Deus o perdão dos meus erros e pecados, deixai-me participar do ardente amor que inflamou o vosso coração, para que eu seja capaz de seguir a Cristo até o Calvário, se for preciso e assim, mais cedo ou mais tarde, tenha a felicidade de abraçar e beijar os pés do divino Mestre. Como Jesus ressuscitado vos chamou pelo nome: “Maria!” ele chame também pelo meu nome.., e eu nunca mais me desvie do seu amor, com recaídas nos erros do meu passado. Santa Maria Madalena, eu vos peço esta graça, por Cristo Nosso Senhor. Amém.

    ResponderExcluir
  3. A coisa está esquentando... Dona Lô está indo devagar. Vai comer pelas beiradas

    ResponderExcluir
  4. Dona Lô cresce literariamente a cada novo episódio.

    ResponderExcluir
  5. Oxe, ano que vem vou passar a Semana Santa ma matinha de Dona Lô. E se tiver drama vou participar "tombém".

    ResponderExcluir
  6. Resgatar as discípulas de Cristo, tendo Maria Madalena à frente, já é um grande feito

    ResponderExcluir
  7. Márcia G. Campos26 de abril de 2011 17:21

    Vim aqui por indicação de uam amiga. Adorei essas estórias de Dona Lô. Ela é dez

    ResponderExcluir
  8. Fátima sou fã do teu tarbalho como intelectual, dos artigos políticos à tua literatura

    ResponderExcluir
  9. Maria Aparecida Damasceno30 de abril de 2011 10:33

    Achei o episódio lindo. Dona Lô é um encanto de pessoa.

    ResponderExcluir
  10. Bárbara Heliodora Gomes Lins30 de abril de 2011 11:25

    Cada vez mais fico doidinha pela figura muito massa de Dona Lô

    ResponderExcluir
  11. Fátima oliveira, Dona Lô é do borogodó, mesmo, mesmo. Amei

    ResponderExcluir
  12. Fátima, só mesmo uma cabeça política brilhante e maravilhosa como a tua poderia ter criado a Dona Lô. Mas escute, cadê o resto da Semana Santa lá na Matinha de Dona Lô? Quero assistir o drama de Maria Madalena rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  13. Dona Lô, cadê o resto da Semana Santa na Matinha, minha linda?

    ResponderExcluir
  14. Só para dizer que fiz a receita da sopa de bacalhau e ficou ótima

    ResponderExcluir
  15. A Sopa de bqacalhau de Donana fez sucesso em minha casa também.
    Mas estou aqui d emutuca esperando Dona Lô contar o resto da Semana Santa

    ResponderExcluir