Visualizações de página do mês passado

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Chegaram pra catar caju, mas Dilma já assava as castanhas...

[VISÃO_FUTURO_-DILMA-PRESIDENTE.jpg] 

Fátima Oliveira


Dona Lô estava em seu quarto após o jantar e uma olhadinha na novela. Fazia suas malas. Estava tão entretida decidindo o que levar para cada uma de suas viagens que demorou a ouvir seu telefone tocando.
– E aí? Tudo bem? Já disse pro pessoal aí que vai viajar no Natal?
– Tudo bem, minha rosa. Ainda não encontrei a brecha de falar, mas encontrarei. Vou dizer que você, Pedro e as crianças passarão o Natal aqui; e que a Casa de Donana receberá o reisado, como de costume. Vai ficar tudo bem. Preciso fazer essa viagem. Estou me dando uma pausa. Preciso respirar um pouco da vida fora daqui após tantos festejos. Não posso achar que só há vida aqui. Quero viajar dia 17. Voltarei dia 27, dois dias antes de pegar a Belém-Brasília para assistir a posse de Dilma.
– Tanto eu quanto o Pedro estamos apreensivos, mas acho que vai dar certo. Sou parte dessa gente daí desde que nasci. Claro que ficarão tristes com a sua ausência... Dindinha, quero perguntar uma coisa...
– Pois pergunte, Estela.
– Me diga o que a senhora fez pra essas mulheres daí acharem que o aborto é uma coisa que... não é pecado e nem crime?
– Mas quem disse que elas não acham?
– Ah, bem, hem-hem... Eu achei, pois elas brigaram com o padre e o pastor e ficaram do seu lado...
– Oh, entenda Estela, isso é outra coisa, querida! Mas por que pergunta?
– Estou pra lá de impressionada com os resultados de uma pesquisa nova, feita pela Vox Populi, do Marcos Coimbra, entre 17 e 23 de novembro...
– Esse moço é bom. Dá pra confiar. O que ele diz?

Marcos Coimbra

– Que “82% dos entrevistados são de opinião que o aborto não deve deixar de ser considerado crime; 72% acham que o governo não deve propor mudanças na legislação que o descriminalizem; 60% entendem que a união civil de pessoas do mesmo sexo não deve ser permitida; 72% acham que o governo não deve propor leis que descriminalizem o consumo de drogas.” E mais: “Outro resultado interessante é que não há diferenças nos padrões de resposta dos eleitores de Dilma e Serra”. (Uma nova pesquisa sobre temas morais nas eleições).
– Estela, a novidade é que são dados de uma empresa de pesquisa de opinião muito confiável. Penso que retratam a realidade. Para mim a novidade é que agora temos o sentimento conservador contabilizado. Mas é isso mesmo que a gente respira.
– Também achava, mas não tão acachapante assim. Espia só o que ele diz mais: “Pessoas de escolaridade mais alta, com maior renda, mais jovens, moradores de áreas urbanas e de estados mais desenvolvidos, tendem a ser menos hostis a mudanças, mas nunca em proporções elevadas (a aceitação de que o aborto não seja considerado crime é de 10% entre pessoas de baixa ou nenhuma escolaridade, mas vai a apenas 20% nas de alta escolaridade). Ou seja, se quisermos falar em conservadorismo, trata-se de um fenômeno majoritário na sociedade inteira”.
– Mas é isso mesmo Estela!
– Como explicar que essa mulherada daqui da roça decidiu pelo apoio a Dilma e contra o que diziam o padre e o pastor?
– Isso é outra coisa querida! Já disse.
– Mas qual outra coisa, Dindinha? “Pucardiquê”?
– É que aqui na Chapada do Arapari as mulheres não abortam, só têm “pérca” (perda natural). E “pérca” não é aborto, é coisa que acontece. É natural na vida das mulheres, desde sempre.
–...
– Não entendeu Estela? É que as mulheres daqui não entendem como aborto, por exemplo: tomar garrafada pras “regras” descerem, logo tomar remédio pra que as “regras” desçam não é pecado. Só na cabeça tosca desses padrecos e pastores furrecas que não sabem de nada e nem querem saber, de como vivem e o que passam as mulheres.
– Hem-hem sua danadinha! Você deu um jeito de elas entenderem que aquilo era um discurso contra a cumplicidade entre as mulheres, não foi?
– Médio! Quase! Mais ou menos!
– Apelou, não foi?
– Médio! Eu apelei para a necessidade de não entregarmos jamais os segredos das mulheres. Foi isso! Se alguém perguntar pra qualquer delas se já abortou, se defende o aborto, ouvirá um sonoro não como resposta! Todas, invariavelmente, morrerão negando.
– Meeeeeeeesmo?!
– Siiiiiim! Vão morrer dizendo que são contra e que nunca abortaram. Mas elas externam o sentimento, muito fortemente, que uma mulher em dificuldade porque as regras estão atrasadas, merece ser ajudada. Votaram em Dilma porque, como elas, ela disse que era contra o aborto. Todavia Dilma deu a deixa que as tornou cúmplices: ela dizia que mesmo contra não prenderia nenhuma mulher em situação de aborto, mas que atenderia aquela mulher naquela hora!
– Putz, agora entendi a maestria e a genialidade do marqueteiro de Dilma. Tudo subliminar. E pegou, pegando! Foi isso! João Santana é o cão chupando manga!
– Também acho! O cara mostrou que entende do riscado do seu ofício. E Dilma foi aluna aplicadíssima, tanto que no fim do terceiro bloco do debate na TV Bandeirantes, João Santana comentou: “Se ela for melhor, estraga!”


– Para quem defende a legalização do aborto o caminho número um a trilhar é encontrar um jeito de desorrorizar o aborto perante um conservadorismo tão pesado e arraigado...
– Também acho! É preciso criar um ambiente mais favorável aos direitos humanos das mulheres. Eu disse criar porque o ambiente em que vivemos é muito hostil.
– A senhora está querendo dizer que...
– No ambiente hostil que as eleições presidenciais reavivaram é preciso agir em três frentes básicas, a saber: para garantir o cuidado das mulheres que abortam todo santo dia, pois sendo crime ou não, elas abortam; e abortam porque precisam e como nem sempre podem fazer um aborto seguro, sem riscos, podem precisar de uma internação em hospital e tem de ter hospital para atendê-las com a dignidade que merecem, pois não? Que SUS é esse que desrespeita o seu princípio de atenção universal?
– Realmente...
– Para garantir mais e mais serviços de aborto previsto em lei, pelo menos em todas as capitais e em todas as cidades com mais de cem mil habitantes; e, claro, continuar a luta pela mudança da lei, para incluir os casos de anencefalia e para a legalização total do aborto, mesmo sabendo que as dificuldades, as barreiras, são muitas e enormes...
– Mas é essa luta que mantém o assunto em pauta e contribui para criar uma cultura de respeito aos direitos femininos, incluindo o direito ao próprio corpo...
– Hem-hem... Então, chega dessa historia que os corpos das mulheres são o santuário da sociedade! Não serve pra nada a não ser para oprimir mais as mulheres. Entendeu Estela?
– Médio. Mas e o ministro ou ministra da saúde que não sai? Quando será o anúncio, hein?
– Como vou saber Estela? Eu não sou a Dilma, né minha filha? É esperar. Pode até ser quem não entenda nada de nada. Acontece. Mas saberei ver os motivos para que assim seja. É aguardar e confiar na mulher. Política é costura. Só costura! Ela está com esse negócio do ministro da saúde como uma carta na manga... Ah, isso é! De boba aquela ali não tem nada. Tá na espreita. Tá na muda. De mutuca. Ela sabe que “Cachorro bom de tatu, morre de cobra”.

Luiza Bairros
– Valei-me! Vai destilar todo o repertório de provérbios de Mãe Zefinha, e é?
– Pode também acontecer um nocaute. É! Não viu que ela nocauteou a esperteza no caso da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir)? Quando chegaram pra catar caju, Dilma já assava as castanhas: escolheu Luíza Bairros! Foi uma surpresa agradável, ou não foi? Me diga!
– Mas Dindinha...
– Depois falaremos sobre isso Estela. Lembre: “Quem já sabe o caminho, chega primeiro”. Não esqueça também que “Cá e lá, más fadas há”. E lembre a toda hora: “Cada qual com a sua pereba”.
– Eu ia dizendo que ela, a Dilma, é de boa...
– Depois Estela, depois... Agora é só alegria. É comemorar. Foi gol: ministra Luíza Bairros!

Jean Baptiste Debret: "Negra vendendo caju" (1827)


Chapada do Arapari, 13 de dezembro de 2010
[caju.gif] 

19 comentários:

  1. Dona Lô é nota mil. Vou acompanhá-la sempre

    ResponderExcluir
  2. “Quem já sabe o caminho, chega primeiro”.
    hehe..sabe tudooo essa dona Lo!
    eu ja tava ansiosa pra ver o que ela ia falar da nova ministra..Eta D. lo porreta!

    ResponderExcluir
  3. Que sensacional o provérbio: “Cachorro bom de tatu, morre de cobra”.

    ResponderExcluir
  4. Lula: ódio, rancor e mágoa tiraram R$ 150 bi da Saúde
    Publicado em 13/12/2010

    Lula: "Digo todo dia que não vi nenhum produto no mercado com 0,38% de desconto"
    Saiu no blog Os Amigos do Presidente Lula:

    Lula adverte: oposição demo-tucana fez mal para a Saúde

    O presidente Lula foi homenageado nesta terça-feira pela rede de hospitais de reabilitação Sarah Kubitschek, em Brasília.
    Durante o evento disse que, para melhorar a saúde, será preciso encontrar outra forma de arrecadar recursos para a área, já que uma das fontes, a CPMF, a oposição demo-tucana eliminou.
    “A presidente da República a gente já sabe quem é. Agora independentemente de quem será o ministro da Saúde, terá uma tarefa imensa de organizar deputados e senadores para encontrar uma forma de financiar a saúde…
    … Lembro da fatídica noite do fim da CPMF. Digo isso com certa mágoa. Que só existe uma explicação para terem acabado com a CPMF: Ódio, rancor e maldade. Em um ato de insanidade, em uma noite que não tem explicação, tiraram mais de 150 bilhões da saúde. Digo todo dia que não vi nenhum produto no mercado com 0,38% de desconto”.

    ResponderExcluir
  5. Estou torcendo para que a ministra Luíza Bairros seja muito feliz à frente da Seppir

    ResponderExcluir
  6. Maria Aparecida Damasceno14 de dezembro de 2010 08:33

    Dona Lô não perde um lance de nada. Esperta que só. Eu também comemora a indicação da brava Luíza Bairros para ministra da Seppir

    ResponderExcluir
  7. Diplomação de Dilma será no dia 17 de dezembro, avisa TSE

    SÃO PAULO - A cerimônia de diplomação da presidente eleita Dilma Rousseff e de seu vice Michel Temer ocorrerá no plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 17 de dezembro, às 17 horas. A informação foi confirmada pelo TSE.

    No evento, Dilma e Temer vão receber do presidente do tribunal, Ricardo Lewandowski, o diploma para exercer o mandato a partir do dia 1 de janeiro, quando acontece a cerimônia de posse.

    O dia 17 de dezembro representa o fim do período eleitoral, além de ser o último dia para a entrega do diploma aos candidatos eleitos para os cargos de senador, governador, deputado federal e deputado estadual. Nestes casos, a entrega do documento será feita pelos tribunais regionais.

    (Fernando Taquari | Valor)

    Fonte: O Globo

    ResponderExcluir
  8. Ei Dona Lô, suas cutucadas estão valendo, mulher!
    ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
    Ministério de Dilma já é o maior em número de mulheres

    Se as negociações dos últimos dias se confirmarem, petista já tem ao menos oito mulheres no primeiro escalão de seu governo
    iG São Paulo | 14/12/2010 17:22

    Cumprindo a promessa repetida sucessivamente durante a campanha, a presidenta eleita Dilma Rousseff já indicou um número recorde de mulheres para compor o primeiro escalão de seu governo. Se as negociações comandadas nos bastidores nos últimos dias se confirmarem, Dilma já preencheu pelo menos oito vagas com mulheres.

    O tamanho da equipe feminina de Dilma já supera a fatia de mulheres nomeadas no primeiro ministério do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2003. Na época, Lula indicou cinco ministras: Marina Silva (Meio Ambiente), Emília Fernandes (Secretaria Especial das Mulheres), Matilde Ribeiro (Secretaria da Igualdade Racial), Benedita da Silva (da extinta pasta da Ação Social) e a própria Dilma (Minas e Energia).

    Embora a presidenta eleita tenha avançado significativamente na montagem de sua cota de mulheres, alguns nomes citados inicialmente como favoritos ficaram de fora. É o caso da diretora de Gás e Energia da Petrobrás, Maria das Graças Foster. Ou ainda da deputada do PC do B, Manuela D'Ávila. (....)

    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/ministerio+de+dilma+ja+e+o+maior+em+numero+de+mulheres/n1237866035252.html

    ResponderExcluir
  9. Cabral condena hipocrisia e diz que lei do aborto é uma vergonha


    Numa declaração corajosa, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), disse nesta terça-feira (14) que a atual legislação sobre aborto no país é uma “vergonha” e afirmou que há "hipocrisia" sobre o tema. Ele defendeu a ampliação dos casos em que a interrupção da gravidez é permitida. Atualmente, apenas mulheres vítimas de estupro e que correm risco de morte podem obter autorização judicial para fazer um aborto.
    “O Brasil está dando certo, é aprofundar a democracia, vamos aprofundar a liberdade de imprensa, aprofundar a vida como ela é, discutir os temas que têm que ser discutidos. O aborto, por exemplo, foi muito mal abordado na campanha eleitoral. Será que está correto um milhão de mulheres todo ano fazerem o aborto, talvez mais, em que situação, de que maneira? Não vamos enfrentar, então está bom. Então o policial na esquina leva a graninha dele, o médico lá topa fazer o aborto, a gente engravida uma moça – eu não porque já fiz vasectomia e sou bem casado – mas engravidou... Quem é que aqui não teve uma namoradinha que teve que abortar?”, questionou o governador.

    Cabral deu as declarações durante discurso em um seminário organizado pela revista "Exame", em São Paulo, sobre oportunidades de negócios no Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, e em uma entrevista logo após o evento.

    Na entrevista, Cabral foi questionado sobre a frase. Disse que estava falando de homens que tiveram namoradas que engravidaram e foram abortar em clínicas clandestinas. “Isto é a vida como ela é. Só que o sujeito de classe alta, ele tem uma clínica clandestina de aborto, mas em melhores situações”, afirmou.

    O governador do Rio de Janeiro defendeu discussões sobre mudanças na legislação."Vamos encarar a vida como ela é. Acho que está faltando ao Brasil, neste momento, sem dispensar todo o acúmulo que tivemos nesses anos, aprofundar a democracia, os problemas, a legislação", declarou.

    Cabral disse que a dicussão sobre o tema deve ser ampliada com a sociedade. "Vamos discutir com a classe médica e as mulheres. Mas tem que ser ampliado [o debate]. Do jeito que está está errado, está falso, está mentiroso, hipócrita. É uma vergonha para o Brasil."

    Ele comparou as restrições da legislação brasileira sobre o aborto com a de países onde a religião tem uma influência maior na esfera política. "Vamos pegar países onde a religião tem um peso significativo: Espanha, Portugal, Itália, França, Estados Unidos, Grã Bretanha. Será que esses países gostam menos da vida do que nós? Será que o povo inglês, francês, italiano, povo português, gosta menos da vida do que o povo brasileiro? Esse é o ponto", disse.

    Segundo ele, entre 200 mil e 300 mil mulheres são atendidas anualmente em hospitais para reparar danos causados por abortos malfeitos.

    "Ninguém é a favor do aborto, você é a favor do direito da mulher a recorrer a um serviço público de saúde para a interrupção de uma gravidez. Imagino que não tem nenhuma mulher no mundo a favor e nenhum homem. Mas uma coisa é uma mulher, por necessidade física, psicológica, orgânica, psiquiátrica, desejar interromper uma gravidez. Acho que o poder público tem que estar preparado para atender essa mulher. Isso é uma hipocrisia [não pemitir o atendimento]", opinou.

    Fonte: G1

    ResponderExcluir
  10. Maria Albertina de Sales15 de dezembro de 2010 23:48

    Putz! Muito massa. Dona Lô é uma filósofa. Das boas

    ResponderExcluir
  11. Dona Lô é arretadíssima

    ResponderExcluir
  12. DILMA É ELA, SEMPRE!

    Política | 12:24
    Dilma convidou ex-companheiros de prisão para a posse

    A presidenta eleita Dilma Rousseff incluiu na lista de convidados para a sua posse, no dia 1º de janeiro, todos seus ex-companheiros de prisão.

    O cerimonial do Itamaraty já enviou os convites.

    Dilma tem um carinho muito grande por seus ex-colegas de prisão e faz questão da presença deles na posse.

    Dilma esteve presa por quase três anos, de 1970 a 1972, inclusive no temido DOPS, de São Paulo.

    http://colunistas.ig.com.br/guilhermebarros/2010/12/16/dilma-convidou-ex-companheiros-de-prisao-para-a-posse/

    ResponderExcluir
  13. Gente, Dona Lô está nas quebradas

    ResponderExcluir
  14. Achei essa conversa muito boa, gostosa e proveitosa

    ResponderExcluir
  15. Dona Lô, só ocê para desanuviar a minha cabeça e ao mermo tempo enchê-la das boas indformações. To ficano afiada nas política por tua causa mulher de Deus. Muito agradecida.
    E viva a escolha de Luíza Bairros no Seppir, escolha retada de boa!
    Um cheiro minha amiga querida.

    ResponderExcluir
  16. Fiquei apaixonado pela Dona Lô. Meus cumprimentos pela criatividade da personagem e por tê-la criado

    ResponderExcluir
  17. Dona Lô você é uma mulher danada de sabida, isso sim!

    ResponderExcluir
  18. Dra. Fátima Oliveira, que cabeça a sua, hein? Inventar a Dona Lô foi uma iluminação divina. Pode acreditar que vou ficar aqui acompanhando Dona Lô e suas peripécias em defesa da nossa presidenta Dilma Rousseff

    ResponderExcluir
  19. E aí Dona Lô? Que tal a manchete: "Governo Dilma terá 9 mulheres entre os 37 ministros". É ruiiiim, hein? Se explique, minha amiga!!
    Paridade de gênero passou foi longe, bem longe

    ResponderExcluir