Visualizações de página do mês passado

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

“Aquela doença” de Lula fez Dona Lô quebrar a dieta...

 lula_povo.jpg

Fátima Oliveira
Médica -  fatimaoliveira@ig.com      @oliveirafatima_

Era Dona Lô sentar na calçada e aparecer gente. De mansinho iam chegando, um a um, e iam ficando, até que sobrava pra cozinheira... Era um cafezinho simples, depois um refresco, um doce... Maria Helena não gostava quando Dona Lô se entonava na calçada, pois era igual a mais serviço pra ela. Na certa. Ô aflição!
– Dona Lô, Dona Lô, Dona Lô!...
Era Cesinha se esguelando lá da sala e, esbaforido, chegando à calçada e interrompendo o conversê de Dona Lô, que estava tomando uma fresca, como ela tanto gosta, e proseando com quem passava e com quem chegava e ia tomando assento nos bancos, na calçada...
– O que foi agora menino sem termos? Não vê que estou conversando? Esqueceu o que tua madrinha Donana te ensinou, e fooooi? Cesinha, Cesinha! Bem sabes que odeio ser interrompida quando estou com a palavra... Desembucha, jazim, já que interrompeu a conversa...
– É Lula! Ai meu Deus! Acabou de dar na televisão que ele está um pé lá e outro cá!
Na região da chapada, sertão profundo, só se diz “Um pé lá e outro cá” quando alguém está nos derradeiros suspiros de vida. Foi um alvoroço. Ninguém se entendia. Até que Cesinha, trêmulo, desembuchou: “Bem... Pucardiquê foi descoberto, indagorinha, que Lula tá com ‘aquela doença’... Se escapar depois da operação, pode ficar sem fala. E Lula sem fala, acabou-se o homem! Dizque ‘aquela doença feia’ na garganta é difícil de curar!”
– E pucadirquê tá com “aquela doença” vai morrer, Cesinha? Quanto mais estuda mais obtuso fica, c’os diacho, menino! Deixe de jeguice, que falar o nome “daquela doença feia” não faz com que ela deixe de ser feia! Diga câncer, Cesinha!






– Sim, Lula está com câncer de laringe. Isto é, na garganta. Descobriram hoje.
Primeiro foi um silêncio, seguido de todo mundo falando ao mesmo tempo. Feira perdeu. 
– Calma gente! Menos balbúrdia, por favor. Sem muito lero, hoje em dia só morre logo de câncer se descobrir muito tarde e se não der tempo de romper a fila do SUS pra fazer os exames. Sim, porque a fila dos exames é que é a disgrota perfeitinha... Os secretários de saúde dos municípios só falam no tantão de exames que são feitos. Nos que estão esperando por fazer, fazem de conta que não sabem. Mas sabem! E não estão nem aí! Depois de os exames dizerem que é câncer, não há demora demasiada, mas há fila, pra começar a tratar.
– ...
–  Entrou em tratamento, a esperança é grande. Depois, hoje em dia os médicos sabem muito mais sobre os cânceres e os tratamentos evoluíram muito. Não é mais como muito antigamente que câncer era uma sentença de morte em pouco tempo de descoberta a doença. Não viu Zé Alencar, anos e anos com câncer? Certo que morreu. Mas deu trabalho pro câncer dele. Não se entregou. Lutou até o fim.



– ...
– E aí, o que mais que deu na televisão? E a Globo já montou o circo da espera da morte? Capaz de fazer isso. 24 horas de prontidão. Plantão da Globo em alerta pra fazer um velório online. Tudo pronto, só esperando a hora de foguetear... Ai que ódio! Atende aí meu celular Maria Helena, por favor, minha filha...
– ...
– É Estela!
– Peça que ligue no fixo. Não quero esquentar meus miolos. Quer falar sobre a doença de Lula. De certeza vai demorar. Estela fala demais no celular. Vai acabar tendo câncer nos miolos. Parece que não lê nada! E de certeza até Pedro vai querer falar comigo... Por Deus, ter de ouvir Pedro numa hora dessas... Só afregelo!



Mãe Zefinha pegou a brecha e foi logo dizendo: “Lula vai ficar bom, se isso for verdade. Nem tudo que dá nessa tali de televisão é verdade apurada. Vamo ver o que Estela tem pra contar. A conversa é a dela! Se for verdade é pegar nas nossas rezas e é agora. E ligerim. Deus não dá milagre à-toa. Quem precisa do milagre tem de pedir! É Lula nas meizinhas de butica, fazendo direitim os mandado dos doutor, e nós nas rezas... Quero ver quem vence nós... Essa Grobo vai perder tempo nos prantão de prontidão”.

 (São Brás)

– ...
– Cesinha, ô menino, corre ligerim em Dona Celestina. Vá de bicicleta e traga ela aqui. Diga que venha aqui por cima do urgente. Ela tem de tirar uma ladainha pra São Brás, o santo protetor da garganta, ainda hoje. E começar uma novena pra ele. Na horinha que voltar abra a capela. Vamo todo mundo pra lá. Não, vá você Maria Helena, abra a capela, jazim... Deixe Cesinha só por conta de trazer Celestina.
A balbúrdia na calçada só aumentava, pois cada vez chegava mais gente. O que fez Maria Helena conjecturar: “Já vi que esse povaréu não vai sair daqui tão cedo. Vou fazer logo a garrafa de 5 litros de café, antes que Dona Lô invente uma ‘comidinha’”.
Dona Lô apareceu na porta e falou, com voz embargada e lágrimas nos olhos: “Gente, infelizmente, Lula está com câncer na garganta. É verdade!”
Mãe Zefinha, com esforço para não chorar, murmurou: “Maior que qualquer disgrota de ‘canso’ são os poderes lá de cima. De Deus! Chore não, Lô! Com a vontade de Deus e os poderes de São Brás vamo passar essa travessia junto com Lula. Lô, enquanto tu falava com Estela, já dei u’as ordis aqui. Não dá para perder tempo, que é de ouro, num causo assim. Mandei Cesinha trazer Celestina pra puxar uma ladainha agora! Vamo p’á capela fazer o que sabemo: implorar a Deus pela saúde de Lula. Ele há de escutar nós!”
– Calma minha gente! 
Nem bem Dona Lô começou a falar chegou Zé Buchinho: “Ô Dona Lô, eu sei que a senhora é Lula até debaixo d’água e na horinha que escutei a triste notícia vim aqui dar meus sentimentos. Gostar mais de Lula do que vosmicê, só a galega dele”.
Foi um silêncio de ouvir mosca zunir. Dona Lô tinha olhar de fuzilamento no paredão: “Ô Zé Buchinho, me diga se morreu alguém aqui? Morreu, cabra? Enfie seus sentimentos no saco, peste!  E se arranque daqui agora se não quiser sair debaixo de vara, seu agourento! Tá metido a rasga-mortalha Zé Buchinho? Qualé o espanto de Lula ter câncer? Não pode? C’os diacho, que gente essa que não deixa  nem Lula adoecer em paz! Nem isso ele pode. Lula é gente, mermim que qualquer um de nós, pode ter qualquer doença humana!”
– É que, Dona Lô, essa doença é terrivi, sinhora! Difícil escapar! Bote isso na ideia.
Mãe Zefinha levantou-se da cadeira. Apontando sua bengala e encostando a pontinha dela nas fuças do elemento-coruja, do rasga-mortalha, falou alto e rosado: “Era Zé Buchinho! Dona Celestina tá aqui vivinha pra provar que essa doença feia, que nem gosto de dizer o nome dela, o ‘canso’, tratado pode ser curado! É ou não é, Lô? E olhe que ela morava aqui nessa biboca e era pobre, quase peregrina”.
– ...
– Abaixo de Deus, a piedade de São Brás, os doutor, nossas rezas e os gargarejos de óleo de copaíba (sete gotinhas num copo d’água, duas vezes por dia), duas ‘sumana’, que ela começou a fazer quando já tava nas meizinhas de doutor lá no São Luís. Com quinze dias de garagarejo de copaíba, a mulher levantou. Foi de causar espanto aos doutor! Eles ficaro sem entender, até hoje! Tudo junto dá certo!


  (Copaíba)

– Alembra da era em que Celestina ficou uma temporada lá no São Luís? Mais de ano! Dotozim Felipe Tropeiro ainda era vivo. Lô nem aqui tava. Ainda tava desterrada no estrangeiro.
– ...
– Pois bem, foi ele quem levou Celestina pro São Luís, pucardiquê ela tava com uma rouquidão que nem falava direito.  Era essa “doença feia”! Tá pra mais de 20 e tantos anos. Os doutor disserum que se num voltasse cum até cinco anos ela tava boazinha da silva. Pois ficou curada! Ela lá no São Luís e nós aqui pegada nas rezas, nos benditos, nas ladainhas... Um ano! Todo santo dia. Pois vamo fazer o mermim por Lula! São Brás, o santo protetor da garganta, curou Celestina! E vai curar Lula! Deixe Celestina chegar que ela vai dar as ordi do que fazer pra São Brás. Tem Novena de São Brás, tiração de ladainha, que a dele é a Ladainha dos 14 santos “oxiliar” de Deus... Celestina vai dizer direitim, que ando meia esquecida...
– Eita bando de véias corocas! Rezam tanto e num serve de nada, morre tudim do jeito mermim dos que num reza... Da cidade-dos-pés-junto ninguém escapa, sinhoras! Pensam que Lula vai virar semente, é?
Eis que Cesinha chega com Dona Celestina e mandou Zé Buchinho fechar o bico, não dizer mais nem um “o” e pegar o rumo de casa, na moral! 
Aliviada, e espocando de orgulho de Cesinha, Dona Lô suspirou fundo e abriu um largo sorriso ao falar: “Maria Helena, minha rosa, eu quero comer alguma coisinha. Essa confusão desse povo aqui me deu fome!”
– Mas não vai comer nada, fora sua sopa de verdura sem gordura, que está prontinha ali lhe esperando! Tá bem gostosinha. Hoje é o seu dia de regime, esqueceu?
– Não. Esqueci, não! Vou quebrar a dieta... Estou ansiosa. E ansiedade dá fome. E tem mais, vou ter de aguentar Pedro aqui. Ô cruz pesada! Ele virá com Estela amanhã bem cedo. Mas pedi a Estela que passe a língua nele: não quero saber de ministro que caiu, quem está cainte, quem está entrante... Aliás, vai se falar pouco disso daqui pra frente. Os jornais só vão falar em Lula, até se ele espirrar... Vai ser um doente com muito poder, pode escrever bem aí! Mais do que já tem.


 (Hospital Aldenora Bello, São Luís-MA)

– ...
Dona Celestina foi transparente: “Ô Lô, m’ia fía, tu vai ter de ir a Sumpaulo levar p’á Lula m’ias gotinhas de óleo de copaíba e entregar nas mãos de Dona Marisa, pra ela dar a Lula pra gargarejar! E conte meu causo. Num tem problema de doutor pensar que foi o remédio deles que botou Lula bom, não! A copaíba se bem num fizer, mal não trará. Em mim deu certo. Não custa nada Lula tentar! Os doutor tudim do Aldenora Bello se riam de mim, pois que eu estava desenganada numa sumana – inté chamaram Doutozim Felipe Tropeiro prumode me trazer p’á morrer em casa – e na outra eu tava era muito da boa!"
– ...
–  Está bem Dona Celestina. Pelo menos a indicação de usar óleo de copaíba Lula vai receber... Fique fria! Talvez nem precise eu ir a São Bernardo do Campo, mas se precisar fique certa que irei!
– ...
E após breve pausa, Dona Lô preosseguiu: “Sei que vocês vão pedir por Lula a todos os santos. Agora posso pensar em outras coisas. Já fiz a minha parte. Mudando de assunto. Na toada que vai, é bem possível Dilma chegar ao fim do governo com um ministério quase só de mulheres. Escreva aí o que falei... Bem, mas não quero mais falar de política hoje..."
“Ave-Maria, pensei que Estela e Pedro não viriam...” Murmurou Maria Helena.
– É. Não estava na folhinha, não Maria Helena. Mas Estela achou melhor vir...
– Pucardi de Lula?
– Sim. Lula doente para nós é como se fosse uma pessoa da nossa família. E é assim pra muita gente. Ela não veio agora à noite porque há um jantar na casa dos pais de Pedro. Aniversário da mãe dele...
Lelena de Cotinha não se conteve: “Bem que eu vi que Dona Lô está afinando. De regime, hein? Fico pensando como uma pessoa que adora comer coisa boa consegue fazer regime...”
Não é bem regime, não Lelena, interrompeu Maria Helena. E complementou:  “Até eu estou acompanhando Dona Lô nessa... Eu estava ficando uma baleia, então resolvi entrar. Mas antes, fomos ao médico. Fizemos um bocado de exames. Ele não disse nem sim e nem não, apenas que tanto a minha saúde quanto a de Dona Lô estavam boas. Chama dieta dos dias alternados. Um dia a gente come, e de tudo, e no outro jejua: só um chá pela manhã e um ovo cozido; no almoço e no jantar sopa leve de verduras. Nada de carnes e nenhum tipo de massa”.
– ...
– É assim: jejuamos na segunda, na quarta e na sexta... No sábado, quando Dona Lô não tem visita, que é raro, a gente só come, ou melhor, bebe coisas líquidas, quase um jejum...  Nos outros dias comemos normalmente...  Mas como em geral há visitas nos fins de semana, Dona Lô se alimenta normalmente.
– Não creio! E a fome?
– Depois da primeira semana a gente não sente fome nos dias de jejum. O corpo da gente se educa. Dona Lô diz que é uma reeducação alimentar... O jejum faz o corpo produzir uma coisa natural que não deixa dar fome... Pergunte a Dona Lô que, de certeza, dirá a explicação certinha... Eu entendi, só não sei explicar... Mas que funciona, funciona... Não tenho mais nem um pneuzinho de gordura e a barriga, sumiu!
Dona Lô, que prestava atenção na conversa, acrescentou: “Lelena, grave o nome da ‘coisa natural’ que o jejum produz: adiponectina. Depois, num momento mais calmo, contarei que bicho que é... Maria Helena, já que não somos rezadeiras, vamos chispar pra cozinha fazer uma comidinha pra esse povo de reza. Elas vão pra capela e nós pra cozinha. Jazim, mas antes quero espairecer com uma dose de “cachaça de parida”, sabe fazer não é Maria Helena? E som na caixa, bote aí, mas bem baixinho, “A majestade o sabiá” pra sossegar meu juízo...
– Se sei fazer cachimbo de cachaça? Claro! Até eu quero um cálice depois dessa fadiga toda. Aliás, vou fazer um cachimbo de cachaça na dose certa: 2 colheres das de sopa de mel de abelha e um copo de cachaça-de-cabeça. Um cálice para cada uma de nós e vamos deixar o resto pra Mãe Zefinha, que ela adora!

Enfim, foi atribulada a recepção da notícia da doença de Lula na Chapada do Arapari: como se um familiar de cada pessoa estivesse doente. Nem Pedro ousou especular negativamente, como é do seu feitio. Fora Zé Buchinho, só mesmo setores da mídia nacional que no decorrer da semana seguinte, por maldade política, ou mesmo por não saberem lidar com alegria de alguns que já consideram Lula carta fora do baralho eleitoral daqui pra frente.
É um sentimento de ódio de classe tão forte que mesmo quando tentam elogiar, acabam traindo o elogio, com tiradas do tipo: “Lula é um homem forte e deverá superar o câncer. Só não é mais poderoso”. Num editorial intitulado da marca: “Força Lula”!  Nem se deram conta do deslize. Como Freud já morreu, há quem explique?

Também foi uma semana em que tivemos de suportar uma “Comunidade do Facebook” (eita desvio de uso! Essa palavra comunidade se presta pra cada coisa!) mandando Lula se tratar no SUS!  (“Lula, faça o tratamento pelo SUS!”). Cambada de desocupados autoritária! Espie só.
Tudo demonstra que Guimarães Rosa ainda tem razão: “Viver para odiar uma pessoa é o mesmo que passar uma vida inteira dedicado à ela”.  
Os “contra”, alavancados pela canalhice de origem, desumanizaram Lula! Pra essa gente Lula não é humano, nem o direito de ter câncer sossegadamente, que é uma “doença feia”, mas democrática, tem! Houve quem declarasse que era uma jogada política de Lula para sair do ostracismo – qual? Como viajam esses “contra”! –; e tendo câncer, querem cassar o direito dele de se tratar onde bem quiser, segundo  suas posses!
O SUS é de todo mundo que aqui nasceu e aqui vive, ou chegou, pobre ou rico, basta pisar em solo brasileiro pra ter direito, não há igual no mundo! Mas não é obrigatório usar!  Acontece que há pessoas que parecem que nunca leram a Constituição. Uns porque acham que SUS é só pra pobre, até que surja uma doença que só o SUS trata; outros alardeiam que o SUS não é melhor por culpa das empresas de saúde privadas, é preciso acabar com elas! Há uma gama de problemas na atenção à saúde no Brasil e as causas são muitas. Mas abaixo de Deus, o SUS! Pouca gente lembra da era pré-SUS, sobretudo quem não lutou por ele e não o defende. Já foi pior. Bem pior.
Sem falar que integram a RedeSUS instituições públicas e privadas contratadas e/ou conveniadas, pois a Constituição Federal de 1988 assegura que “A assistência à saúde é livre à iniciativa privada” (Art. 199.), nacional, pois proíbe “empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde no País” (Art. 199, § 3º); e que “As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos” (Art. 199, § 1º)”. 
De uma vez por todas, quer queira quer não, é bom Lula não esquecer que a origem de classe é eterna!  Caso esqueça, os ditos bem-nascidos são incansáveis em relembrar. Pura questão de classe, pois a luta de classes não acabou e nem acabará enquanto as classes existirem!

  (Osvaldo Luiz  de Melo é o funcionário mais antigo do Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, onde o ex-Presidente Lula ficou internado nos dias 31 de outubro e 1 de novembro de 2011 para iniciar tratamento quimioterápico para debelar o câncer na laringe. Seu Osvaldinho fez questão de cumprimentar o ex-presidente Lula, quando saia do hospital, para desejar saúde e pronta recuperação. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula).

Espie, pra compreender bem: eu até hoje sou Lô Tropeira! E cultivo ser Lô Tropeira, uma mulher das brenhas do sertão. Sou bisneta de um tropeiro (Velho Chico Tropeiro) que fez fortuna, rasgando trilhas e fazendo estradas e fundando povoações, pois cada pouso de tropeiro por onde ele passou é hoje uma cidade! E fez isso no muque: dias e dias comendo rapadura com farinha seca no almoço e assando carne de gado seca na brasa só à noite, ou comendo uma caça que pegavam nas quebradas dos pousos.

http://www.klepsidra.net/klepsidra4/tropeiros.html (Tropeiros em ação na Colônia)


Nem meu avô (Neneco Tropeiro) e nem meu pai (Dotozim Felipe Tropeiro), que se formou na Europa, duas vezes doutorado, em um tempo que por aqui nem se sabia direito o que era isso; e muito menos eu, que no linguajar daqui sou uma mulher estudada, porque formada na universidade, que o povo diz que herdei cofos e cofos de dinheiro, quando querem mofar de mim, só de pura inveja roedeira, e um patrimônio honesto, fruto de trabalho de sol a sol, bem maior do que muitos dos ricos do nosso país, que não se sabe a origem da fortuna que possuem, não passo de uma tropeira!

(Tropeiros, Debret, 1768-1848)
 (Carregadores, Debret, 1768-1848)
(Acampamento de tropeiros, no Rio Grande do Sul, Debret, 1768-1848)

Tropeiro ou Tropeira para nossa família, como dizia Donana, minha mãe, não é um sobrenome é uma condição – de classe – que gera responsabilidades para com os da nossa “iguala” (e a nossa “iguala” até hoje é o povo simples da roça) e assim será para sempre amém!

 (Visita de Dilma a Lula no hospital, em 31.10.2011)

É nessa toada, de “vamos que vamos”, que as rezadeiras da Chapada do Arapari, que tem o poder da fé, e acreditam que a fé cura, estão ocupadas. Tirando benditos, ladainhas e novenas para São Brás, pois a gente simples do povo não se cansa de dizer que abaixo de Deus, é Lula! (Dilma ainda é apenas um presente de Lula). E ficarão de prontidão até Lula ficar bom. Quer amor maior?  
Chapada do Arapari, 06 de novembro de 2011

O dia de São Brás, protetor das doenças da garganta, é  3 de fevereiro

 
Oração a São Brás

Ó glorioso São Brás, que restituístes com uma breve oração a perfeita saúde a um menino que, por uma espinha de peixe atravessada na garganta, estava prestes a expiar, obtende para nós todos a graça de experimentarmos a eficácia do vosso patrocínio em todos os males da garganta.
Conservai a nossa garganta sã e perfeita para que possamos falar corretamente e assim proclamar e cantar os louvores de Deus.
A bênção de São Brás: “Por intercessão de São Brás, Bispo e Mártir, livre-te Deus do mal da garganta e de qualquer outra doença. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém”.

   Ladainha dos Santos Auxiliares:
1. Santo Acácio; 2. Santa Bárbara; 3. São Brás; 4. Santa Catarina Alexandria; 5. São Cristóvão; 6. São Ciríaco; 7. São Denis; 8. Santo Erasmo; 9. Santo Eustáquio; 10. São Jorge; 11. Santo Egídio; 12. Santa Margarida Antioquia; 13. São Pantaleão; e 14. São Vito.



BOLETIM MÉDICO – 29.10.2011 - 11h00

O Ex-Presidente da República, Sr. Luís Inácio Lula da Silva, realizou exames no dia de hoje no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, tendo sido diagnosticado um tumor localizado de laringe.
Após avaliação multidisciplinar, foi definido tratamento inicial com quimioterapia, que será iniciado nos próximos dias. O paciente encontra-se bem e deverá realizar o tratamento em caráter ambulatorial.
A equipe médica que assiste o Ex-Presidente é coordenada pelos Profs. Drs. Roberto Kalil Filho, Paulo Hoff, Artur Katz, Luiz Paulo Kowalski, Gilberto Castro e Rubens V. de Brito Neto.


Dr. Antonio Carlos Onofre de Lira - Diretor Técnico Hospitalar
Dr. Paulo Cesar Ayroza Galvão - Diretor Clínico"


 Em vídeo, Lula agradece ‘carinho e solidariedade’ recebidos

20 comentários:

  1. Li rapidamente, mas gosti muito. Vou reler mais tarde para saborear mais um episódio de Dona Lô

    ResponderExcluir
  2. Érica Brandão Chaves7 de novembro de 2011 07:27

    Fátima, que bom o conto! Estou impressionada com tanta maldade dessa gente contra Lula e contra o SUS

    ResponderExcluir
  3. Perfeita Dona Lô

    ResponderExcluir
  4. Dona Lô disse TUDO

    ResponderExcluir
  5. Geeeeeeeeeente, Dona Lô não pode ser só uma personagem. Vou chamar Gepeto, jazim!

    ResponderExcluir
  6. Carlos Sanches dos Santos7 de novembro de 2011 13:06

    Dra. Fátima Oliveira a sua criatividade e tino políico são dignos de nota. Dona Lô é parida das duas coisas da mente da autora

    ResponderExcluir
  7. O que encanta em toda Lô é o ecletismo charmoso. Fala de política com a mesma naturalidade com que fala sobre a dieta dos dias alternados. Ela não é mole, não! Uma mulher antenada com o seu tempo. Aí tem poder, viu gente?

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Fátima. Concordo 100% com Dona Lô

    ResponderExcluir
  9. A benção Dra. Fátima Oliveira! Dona lô é um brilho só

    ResponderExcluir
  10. Dona Lô é simplesmente um espetáculo

    ResponderExcluir
  11. Yolanda Gonçalves7 de novembro de 2011 17:15

    Putz o que encanta é a elegância e o charme de Dona Lô, além do tino político

    ResponderExcluir
  12. MAIS: E ESSA AINDA É A ÚNICA MANEIRA LÍQUIDA E CERTA DE PROLONGAR A VIDA, CIENTIFICAMENTE COMPROVADA!
    Os animais mantidos com essa alimentação têm artérias mais limpas e pressão mais baixa; são espécimes saudáveis e vistosos. O problema é que, para manter essa alimentação, é preciso estar em cativeiro: poucos seres humanos suportam o estado de fome permanente, como comprovam as muitas dietas para emagrecer malsucedidas.
    Entretanto, tudo mudou em 2003, quando uma descoberta do Dr. Mark Mattson, neurocientista do Instituto Nacional do Envelhecimento, nos Estados Unidos, fez com que os benefícios da restrição calórica vitalícia deixassem de ser mera curiosidade científica e passassem a ser potenciais geradores de saúde.
    ELE DESCOBRIU QUE OS RATOS DE LABORATÓRIO OBTINHAM TODOS OS BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE, MESMO QUANDO AS CALORIAS ERAM CORTADAS SOMENTE EM DIAS ALTERNADOS!!
    Daria certo em humanos? Dr. Mark Mattson achou provável, como explicado acima: “Nosso metabolismo básico se estabeleceu quando éramos caçadores e coletores”, explica ele, “e naquela época o padrão seria uma mistura de banquete e fome. Passaríamos vários dias sem comida até termos um festim quando se achava um bom suprimento”.
    Os pequenos estudos que fez com seres humanos verificaram que a saúde começava a melhorar da mesma maneira.
    Como orientação básica, Dr. Mattson recomenda uma média de 2.200 calorias para o homem e 2.000 calorias para a mulher.
    CHEGAR A ESSA MÉDIA COMENDO DIA SIM, DIA NÃO, É MUITO MAIS FÁCIL DO QUE SENTIR FOME O TEMPO TODO!!!
    DÁ PARA SE PERDER 16 KG EM 10 SEMANAS E SE CONVERTER FACILMENTE AO MÉTODO, POIS ELE NÃO É PROIBITIVO, POIS ESTE REGIME É MUITO MAIS FÁCIL DE FAZER DO QUE SE SUBMETER À RESTRIÇÃO CALÓRICA DIÁRIA.
    Isto torna a vida das pessoas com sobrepeso ou obesas muito mais fácil, que costumam ser obrigadas a seguir dietas de poucas calorias com apenas 20 a 40% do que costumam comer, TRAZENDO TODOS OS OUTROS BENEFÍCIOS PARA A SAÚDE.
    A chave do quebra-cabeça é uma proteína chamada ADIPONECTINA. É ela que destrói a gordura, os pneus, e faz a fome despencar.
    A dieta dos dias alternados aumenta em 30% a produção de adiponectina, além de reduzir os triglicerídeos e colesterol ruim, marcadores das doenças do coração. O interessante é que os exercícios físicos também aumentam a adiponectina, na mesma média da dieta dos dias alternados. O que os dois teriam em comum? Boa pergunta, vamos estudar mais esta dieta para saber.
    Uma das respostas possíveis é que ambos sejam maneiras de “ligar” o gene magro, o chamado “SIRTI”. Aumenta a proteção contra os danos dos radicais livres na circulação, ajuda a reparar o DNA, reduz as inflamações e faz a célula queimar mais energia.
    COMER 20% DO VOLUME NORMAL DAS CALORIAS NUM DIA “NÃO” BASTA PARA ABRIR A VIA “SIRTI” DENTRO DE ALGUMAS SEMANAS, E COMER O QUE QUISER NO DIA SEGUINTE (DIA “SIM”), NÃO A FECHA, OU SEJA, NÃO DIMINUI SUA PRODUÇÃO E VOCÊ CONTINUARÁ EMAGRECENDO CONTINUAMENTE!!
    ALÉM DE QUE O RISCO DE DIABETE, ASMA E DOENÇA CARDÍACA SE REDUZEM DRÁSTICAMENTE, E COMBATE O DECLÍNIO MENTAL QUE VEM COM A IDADE.

    O FUTURO:
    Ainda há muito a pesquisar a respeito desta dieta, mas por enquanto, para quem quer e precisa perder peso, é sem dúvida uma dieta fácil de seguir emocionalmente, pois você terá a certeza do dia SIM, onde poderá comer bem e de tudo. Nos dias “NÃO”, você poderá, de início, comer algo em torno de 400 a 500 calorias, chegando até a 750 calorias. Mais tarde você entrará tranquilamente em jejum mesmo, pois a ADIPONECTINA estará cada vez mais elevada, progressivamente, tirando a sua fome e queimando suas gorduras. Além de que ela não precisa ser permanente. Dá para usá-la para manter o peso estável. Se você começar a engordar é só voltar à dieta dos dias alternados por alguns dias ou algumas semanas,
    dependendo do quanto deseja perder de peso.
    www.extraderondonia.com.br/modules/variedades/item.php?itemid=777

    ResponderExcluir
  13. ENFIM A DIETA DEFINITIVA: PERCA PESO E GANHE A VIDA ETERNA
    publicado por Redação, em 26/6/2011

    Veja o que disse o DR. AURO ÉDER PEREIRA em sua coluna semanal no EXTRA DE RONDÔNIA.
    A GRANDE NOVIDADE:
    A descoberta, óbvia mais uma vez, foi feita antes da Segunda Guerra Mundial, ainda na década de 30, por cientistas da nutrição humana, mas só agora é que a onda pegou fogo.
    O nosso metabolismo básico se estabeleceu quando ainda éramos caçadores e coletores de alimentos, há milhares de anos.
    Não comíamos todos os dias. Nem todo o dia havia caça ou outros alimentos disponíveis para nos alimentarmos, e essa neurolinguística nutricional (programação cerebral pré-estabelecida, como um programa de computador, para se alimentar, conforme a oferta ou não de alimentos) se estabeleceu de forma a proteger a raça humana de sua extinção.
    Havia comida em um dia. No outro não, e aí? Como é que sobreviveríamos? Deveríamos comer todos os dias, como fazemos absurdamente atualmente?
    A fome assolou o mundo em várias ocasiões e estamos aqui, vivinhos da Silva.
    Ou nos adaptávamos à falta de alimentos ou seríamos extintos. Simples assim.
    Graças a Deus nos adaptamos.
    E o nosso metabolismo (velocidade de funcionamento do corpo humano, como num carro em movimento a 80 Km/hora, fazendo 10 Km por litro de gasolina, atualmente), pré-programado pelo cérebro, assim constituído, fazia de nossos corpos máquinas saudáveis e magras. Fazíamos na época 5 Km por litro! Gastávamos mais gasolina, ou seja, mais calorias para o mesmo exercício. Não engordávamos pois raramente enchíamos o tanque, e quando o fazíamos, consumíamos com mais velocidade. Vivíamos na reserva.
    Mudamos os costumes alimentares, pelo dinheiro, e nos demos mal, é claro. Haviam 800 alimentos cadastrados no mundo no século 19. Agora são 40.000. A Indústria os inventou. Comer todo o dia faz mal. Mata de fome a África.
    E nos engorda e envelhece precocemente, matando-nos pelas várias doenças degenerativas do corpo humano conhecidas.
    A IDÉIA:
    É simplíssima, mas primeiro vamos ao óbvio: sempre que se inicia um novo regime, surge na consciência, a idéia deprimente, de que o famigerado efeito sanfona retornará. E o que fazer então?? Ninguém agüenta mais contar calorias com dietas e dietas rigorosas e controladoras, e passar fome todos os dias, como um faquir deitado em brasas ou espinhos. Um alpiste 3 vezes ao dia, ou a última que ouvi: a dieta da Lua: Emagrece, pois não a alcançamos para comê-la!! Atire a primeira Pedra quem já não experimentou alguma bobagem dessas?
    Então, que tal uma dieta que permita perder peso sem sentir fome o tempo todo e que não reduza a velocidade do metabolismo, de modo que o peso não retorne logo depois? Será verdade?
    Pois é: há mesmo um tipo de dieta que proporciona essas duas coisas. Melhor ainda, também nos protege de doenças ao provocar mudanças bem específicas na química do organismo, que geram menos inflamações prejudiciais, melhor controle da glicemia e até, talvez, menor probabilidade de problemas de memória na velhice. Esta é a dieta definitiva!!

    COMO FAZER:
    A boa notícia é que cortar calorias dia SIM, dia NÃO, pode ser o melhor regime até hoje idealizado pela ciência médica.
    COMA DIA SIM, DIA NÃO. Só isso, incluindo aí, se você não for abstêmio, ainda sua cervejinha ou seu vinho!
    JEJUE UM DIA E COMA NORMALMENTE NO DIA SEGUINTE!
    JEJUE OUTRO DIA, COMA NORMALMENTE NO PRÓXIMO, e assim por diante...
    Os cientistas da nutrição humana, sabiam há muito tempo, que os animais de laboratório (cobaias), que recebem uma alimentação pobre em calorias – equivalente, mais ou menos, a uma dieta de 1.200 a 1.500 calorias por dia para um ser humano- vivem cerca de 30% MAIS DO QUE O NORMAL!!

    ResponderExcluir
  14. José Mário de Almeida7 de novembro de 2011 20:00

    Dona Lô, que acabei de conehcer é apaixonante enquanto pessoa humana e política. Vamos sim fazer essa travessia com Lula, com os poderes de São Brás

    ResponderExcluir
  15. DONA LÔ SABE DAS COISAS, E COMO SABE!


    Dilma escolhe ministra do TST para o Supremo Tribunal Federal
    Rosa Maria Weber Candiota da Rosa, do Tribunal Superior do Trabalho, vai ocupar a vaga deixada por Ellen Gracie

    A ministra Rosa Maria Weber Candiota da Rosa foi escolhida hoje (7) pela presidenta Dilma Rousseff para ocupar a 11ª cadeira do Supremo Tribunal Federal (STF).


    Ela integra o Tribunal Superior do Trabalho (TST) desde 2006 e era um dos nomes em alta na bolsa de apostas. A ministra assumirá a vaga deixada por Ellen Gracie, que se aposentou em agosto.

    Rosa Maria Weber tem 63 anos e é gaúcha de Porto Alegre. Atua na área trabalhista desde 1975, quando assumiu o cargo de inspetora do Ministério do Trabalho no estado.

    Aprovada em quarto lugar no concurso de juíza substituta do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, Rosa Weber passou a integrar a corte em 1991.

    ResponderExcluir
  16. Pedro Cardoso Ferreira8 de novembro de 2011 06:34

    Muito criativos os contos protagonizados por Dona Lô. Meus parabéns. E continue demonstrando os furos da política.

    ResponderExcluir
  17. Marieta Valadares Santos8 de novembro de 2011 07:34

    Sou fã de carteirinha de Dona Lô. Êh mulher arretada!
    Pronto restabelecimento da saúde do nosso presidente Lula

    ResponderExcluir
  18. Márcia Porto Carneiro8 de novembro de 2011 11:38

    Dona Lô é chique no último e adora Lula

    ResponderExcluir
  19. Maria Antônia Andrade8 de novembro de 2011 19:22

    Dona Lô é simplesmente maravilhosa. Belo episódio

    ResponderExcluir
  20. Dona Lô eu goso tanto de "tu"! Affee, aproveitando a ocasião quero me oferecer para fazer parte das orações ai na Chapada pela saúde de Lula. Tô chegando. "Me" aguarde, visse?

    ResponderExcluir