Visualizações de página do mês passado

domingo, 20 de março de 2011

Retrato, de Cecília Meireles

Cecília Meireles


RETRATO
Cecília Meireles


Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.


Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.


Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida a minha face?







7 comentários:

  1. Maria Francisca Meireles21 de março de 2011 00:44

    Uma das mais belas poesias de Cecília Meireles

    ResponderExcluir
  2. Cecília Meireles é uma poeta que eu adoro. Desde o jeito simples de dizer as coisas, á beleza dos seus versos

    ResponderExcluir
  3. Viviane Pereira Cardoso21 de março de 2011 09:42

    Sempre fico emocionada com os versos de Cecília Meireles.
    Mas Fátima, cadê Dona Lô?

    ResponderExcluir
  4. Diana Carla Assunção21 de março de 2011 13:52

    Amo a poesia de Cecília Meireles.
    Fiquei apaixonada pelo seu blogue. Acabei de descobri-lo. Vou ler tudo

    ResponderExcluir
  5. Fátima, a poesia de Cecília me emociona demais. Simplesmente maravilhosa.
    Aguardando Dona Lô.
    Cheiros.

    ResponderExcluir
  6. É linda, linda, linda

    ResponderExcluir
  7. a homenagem é belissima fiquei muinto emocionada. seu trabalho é inspirador.

    mônica.

    ResponderExcluir