Visualizações de página do mês passado

sábado, 14 de maio de 2011

O Evangelho de Maria Madalena


Fátima Oliveira

E a Semana Santa transcorreu com seu brilho próprio, tanto na Chapada do Arapari quanto na Matinha de Dona Lô que, como sabemos, ficou de casa cheia, a cara de Donana.
Relembrando: estavam lá “Estela com toda a catrevagem: quatro pessoas; Cesinha com a namorada e a mãe dela, dão três; o povo da boiada: Dr. Jonas, sua mulher Mariá e a filha, a Dra. Helena; o desembargador Elpídio Lobato e os dois filhos: João e o Dr. Francisco de Paula; o Dr. Graciliano, veterinário da Matinha, com uma nova namorada, que ali é cabra vira-folha quando o assunto é mulher. Femeiro demais, minha rosa! São nove. Totalizando: quinze pessoas. Agora bote mais Mãe Zefinha e o povo de Zé Vaqueiro: os três filhos de Laurinha, o motorista e a babá deles, total de cinco. Assim teremos umas vinte e uma pessoas pelos Dias Grandes. Casa cheia, a cara de Donana”.



A cada Semana Santa os hóspedes da Matinha de Dona Lô sentiam como se o tempo parasse. Muita conversa jogada fora, jogos de dama e de baralho, que Mãe Zefinha não se cansava de reclamar, dizendo que “Os tempo ‘dismudaram’ demais, pois não se joga jogo nenhum nos Dias Grandes, que é falta de respeito com o sofrimento de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Ao que Dona Lô respondia: “Então vá deitar, senhora, assim não vê a gente pecando! Se ficar aqui muxoxando, vai ver. Fora a senhora, aqui ninguém é penitente”.
No mais, muita comilança da época e cavalgadas no começo da manhã, após os lautos cafés sertanejos.


[o+lava-pés.jpg] Na Quinta-feira Santa todos se dirigiram ao povoado para o Drama: Lava-pés, no Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, no comecinho da noite.
Na Sexta-feira da Paixão no final da Ladainha na Capela de Santa Luzia, na Matinha de Dona Lô, puxada por Dona Celestina, só se falava na falta que Donana fazia. E na hora em que foi servida a Sopa de Bacalhau de Donana, não se falava em outra coisa, a não ser a saudade que todos sentiam dela.



No romper da Aleluia, alguns ficaram na fazenda e outros foram ver a Malhação de Judas, também no Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição e à noite foram apreciar um pouco o Baile da Aleluia, na casa de Seu Zeca Tripa Forra, que se disse muito honrado com a presença da dona da Matinha e seus convidados, que caíram na farra até quase o sol raiar.

Seu Zeca Tripa Forra, já cheio do “mé,” dizia em alto e bom som, batendo no peito, que em vinte e cinco anos de Baile da Aleluia, nunca houve uma briga em sua festa! Bailão dos bons, tocado a sanfona de Seu Misael: “Quando o sanfoneiro é bom não tem briga no forró/ Mulherada cai matando e o homem não fica só/ A safadeza lidera e a gente molha o gogó/ Mulherada na cerveja fica facinho de ó/ Ó ...ó ...ó ...ó .... ó ... ó ...ó ...ó ...ó .... ó .../ Mulherada na cerveja fica facinho de ó”...
O ponto alto foi mesmo a apresentação do drama: “As mulheres na ressurreição de Cristo”.

Veio gente de muito longe, até a imprensa: rádios, jornais e TV, que Dona Lô já tomou um abuso disgramado dessa gente, desde que foi com as mulheres da Chapada do Arapari para a posse da presidenta. Ficou parecendo até coisa do outro mundo. A um ponto que Dilma não pode dar um espirro que a imprensa corre atrás de ouvir uma opinião de Dona Lô. Como ela diz: “Oxê, Dilma é gente, como todo mundo! Todo mundo espirra sem maiores significados por que correm atrás de significados até dos espirros dela?” 



O adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição ficou coalhadinho de gente. Dona Lô tomou o maior espanto ao ver aquele povaréu: “Ave-Maria, será que o mundo está se acabando! Será? E eu não soube!”
Mal desceu da caminhonete foi atacada por uma nuvem de repórteres. Foi preciso Cesinha segurá-la pelos braços pra que ela não caísse.
– Dona Lô é verdade que foi ideia sua criar esse teatro com as mulheres na vida de Jesus? E por que?
– Dona Lô, o fundamento desse teatro é que Maria Madalena foi casada com Jesus Cristo?
– Dona Lô, a senhora pode...
– Dona Lô, a senhora...
– Ei Dona Lô, diga...
– Ô Dona Lô...
– Olá Dona Lô, dizem que foi a senhora quem escreveu o roteiro dessa peça...

Vitral, retratando Jesus com Maria Madalena grávida (Igreja Católica de Kilmore, Dervaig, na Escócia).
Na parte de baixo deste vitral há uma inscrição:












“Maria escolheu a parte boa, a qual não lhe será tirada.”

– Chega gente! Tá na hora de começar. Vamos parar com essa balbúrdia! Primeiro, vamos assistir a apresentação. Depois vou pensar se dou uma palavrinha com vocês. Está bem? Então vamos abrindo o caminho que o sino já tocou anunciando que vai começar.
Ao se aproximar do adro da capela ela ficou bem impressionada com o luxo simples e de papel crepom que foi criado pelas meninas. Dava gosto de ver a criatividade daquele palco.
E foi cortando caminho no meio daquele mundaréu de gente até chegar ao lugar que foi reservado para ela, bem próximo do palco, que foi montado na frente da capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, tendo como entrada a porta principal dela...
E pensou: “Pena mamãe não estar viva!” Ao mesmo tempo se repreendeu: “Não sei se é pena. Ela era uma marianista, idolatrava a Virgem Maria, talvez nem gostasse do que vai acontecer aqui: aparecimento de uma santa concorrente forte da Virgem Maria! Mas vou fazer de conta que Donana aprovaria”...
De repente apareceram duas crianças no palco com uma faixa na qual se lia: Drama “As mulheres na ressurreição de Cristo”. Foram recebidas com muitas palmas. E quando as palmas cessaram ouviu-se uma voz que dizia:
“Maria Madelana viveu na mesma época que Jesus Cristo, o Jesus de Nazaré, no Século I. Ela nasceu em Mágdala, na Galileia, e foi contemporânea de Jesus Cristo. Foi sua discípula e, juntamente com várias mulheres, o acompanhou da Galileia até Jerusalém.
Aqui veremos Maria, a mãe de Jesus, Verônica, Tecla, Susana, Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Maria de Betânia, a irmã de Marta e de Lázaro, que ungiu Jesus para o sepultamento, Maria mãe de Tiago, e Salomé, a mãe dos filhos de Zebedeu.
Todas, mulheres tão importantes na caminhada de Jesus Cristo quanto os doze apóstolos, que todo mundo sabe seus nomes: Pedro, Tiago, João, André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago (filho de Alfeu), Tadeu (Judas), Simão e Judas (Iscariotes).
Maria Madalena foi a primeira pessoa a ver Jesus Cristo ressuscitado e o seu testemunho está inscrito nos quatro Evangelhos ditos canônicos, isto é que a Igreja Católica Apostólica Romana considera verdadeiros.
Mas há outros evangelhos, dentre eles o de Maria Madalena que, diferentemente, dos demais, que narram a infância, a missão, a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus, é uma compilação de ditos e sentenças falados por Jesus Cristo. Isto é, o Evangelho de Maria Madalena relata o quê Jesus disse.
Portanto, o Drama “As mulheres na ressurreição de Cristo” começa com a ressurreição dele e depois veremos o papel que Maria Madalena desempenhou no cristianismo primitivo, ou seja, nas primeiras comunidades cristãs.
O drama acontecerá em dois atos:
I. A ressurreição de Jesus Cristo e
II. Conversa de Maria Madalena com os apóstolos

O cenário é o do Santo Sepulcro – local em Jerusalém onde dizem que Jesus foi crucificado, morto, sepultado e resuscitou.
Réplica do Santo Sepúlcro

Maria vê o Santo Sepulcro aberto e vazio....

Assustada ouve uma voz conhecida chamá-la:
– Maria!
Espantada ela exclamou, em hebraico: 'Rabûni!' (que quer dizer: Mestre)" .



O cenário seguinte apresenta uma sala, toscamente mobiliada, com várias pessoas sentadas em bancos de madeira:
Maria Madalena – O Salvador disse: "Todas as espécies, todas as formações, todas as criaturas estão unidas, elas dependem umas das outras, e se separarão novamente em sua própria origem. Pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça."
Pedro - Já que nos explicaste tudo, dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo? Jesus disse: "Não há pecado ; sois vós que os criais, quando fazeis coisas da mesma espécie que o adultério, que é chamado 'pecado'. Por isso Deus Pai veio para o meio de vós, para a essência de cada espécie, para conduzi-la a sua origem."
Maria Madalena –  Em seguida o Salvador falou: "Por isso adoeceis e morreis [...]. Aquele que compreende minhas palavras, que as coloque-as em prática. A matéria produziu uma paixão sem igual, que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí, todo o corpo se desequilibra. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem, e se estiverdes desanimados, procurais força das diferentes manifestações da natureza. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça."
Quando o Filho de Deus assim falou, saudou a todos dizendo: "A Paz esteja convosco. Recebei minha paz. Tomai cuidado para ninguém vos afaste do caminho, dizendo: 'Por aqui' ou 'por lá', pois o Filho do Homem está dentro de vós. Segui-o. Quem o procurar, o encontrará. Prossegui agora, então, pregai o Evangelho do Reino. Não estabeleçais outras regras, além das que vos mostrei, e não instituais como legislador, senão sereis cerceados por elas." Após dizer tudo isto partiu.
Um dos apóstolos – “Como vamos pregar aos gentios o Evangelho ao Reino do Filho do Homem? Se eles não o procuraram, vão poupar a nós?"
Maria Madalena levantou e cumprimentou a todos dizendo: "Não vos lamentais nem sofrais, nem hesiteis, pois sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. Antes, louvemos sua grandeza, pois Ele nos preparou e nos fez homens".
Maria Madalena faz menção de sair.
Pedro – Irmã, sabemos que o Salvador te amava mais do que qualquer outra mulher. Conta-nos as palavras do Salvador, as de que te lembras, aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos.
Maria Madalena –  Esclarecerei a vós o que está oculto.
–  ...
Maria Madalena –   Eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: 'Mestre, apareceste-me hoje numa visão'. Ele respondeu e me disse: 'Bem aventurada sejas, por não teres fraquejado ao me ver. Pois, onde está a mente há um tesouro'. Eu lhe disse: 'Mestre, aquele que tem uma visão vê com a alma ou como espírito?' Jesus respondeu e disse: "Não vê nem com a alma nem com o espírito, mas com a consciência, que está entre ambos - assim é que tem a visão".
E o desejo disse à alma: 'Não te vi descer, mas agora te vejo subir. Por que falas mentira, já que pertences a mim?' A alma respondeu e disse: 'Eu te vi. Não me viste, nem me reconheceste. Usaste-me como acessório e não me reconheceste.' Depois de dizer isso, a alma foi embora, exultante de alegria. "De novo alcançou a terceira potência, chamada ignorância. A potência, inquiriu a alma dizendo: 'Onde vais? Estás aprisionada à maldade. Estás aprisionada, não julgues!' E a alma disse: ' Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada; no entanto, não aprisionei. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo, tanto as coisas terrenas quanto as celestiais.' "Quando a alma venceu a terceira potência, subiu e viu a quarta potência, que assumiu sete formas. A primeira forma, trevas,; a segunda , desejo; a terceira, ignorância,; a quarta, é a comoção da morte; a quinta, é o reino da carne; a sexta, é a vã sabedoria da carne; a sétima, a sabedoria irada. Essas são as sete potências da ira. Elas perguntaram à alma: ´De onde vens, devoradoras de homens, ou onde vais, conquistadora do espaço?' A alma respondeu dizendo: ' O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado..., e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Num mundo fui libertada de outro mundo; num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento, que são transitórios. Daqui em diante, alcançarei em silêncio o final do tempo propício, do reino eterno'."
André – Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. Eu, de minha parte, não acredito que o Salvador tenha dito isso. Pois esses ensinamentos carregam idéias estranhas.
Pedro – Será que ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?"
Maria Madalena – Pedro, meu irmão, o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador?
Levi – Pedro, sempre fostes exaltado. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário. Mas, se o Salvador a fez merecedora, quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Daí a ter amado mais do que a nós. É antes, o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos, como Ele nos mandou, e pregarmos o Evangelho, não criando nenhuma regra ou lei, além das que o Salvador nos legou.

Locutor – A partir deste encontro com o ressuscitado, Maria Madalena, discípula fiel, viveu uma vida de testemunho e de luta pela santidade. Alguns historiadores dizem que Maria Madalena, juntamente com a Virgem Maria e o Apóstolo João, foi evangelizar em Éfeso, onde depois faleceu. O culto à Santa Maria Madalena no Ocidente propagou-se a partir do Século XII.
Ai tocou o "Tema da Vitória"... Pra quem sabe ler um pingo é letra e pra bom entendedor, meia palavra basta...










Mal terminou a encenação os repórteres cobriram Dona Lô de perguntas... Cesinha, providencialmente, lhes disse que Dona Lô estava se dirigindo para a calçada da casa dela, onde ofereceria um café para a imprensa e responderia a todas as perguntas. Dito e feito!
– Dona Lô, estava todo mundo pensando que o drama abordaria o boato do livro de Dan Brown, que diz que Maria Madalena foi casada com Jesus.
– Mas, como você viu, o drama apenas nos ofereceu palavras de Jesus ditas a Maria Madalena. Nada demais. Porém muita gente não as conhece.
– Dona Lô, por que a senhora se interessou por esse aspecto, das mulheres na vida de Jesus?
– ...
– Dona Lô a senhora acredita que Jesus foi mesmo casado com Maria Madalena?
– Não sei!
– Mas a senhora se inspirou no romance de Dan Brown, O Código da Vinci, para escrever a peça?
– Não! No Evangelho de Maria Madalena apenas. Evidente que livros como O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, de Margaret George, Henry Lincoln, Michael Baigent e Richard Leigh (1982)  e  O Código da Vinci (2003), são dos mais interessantes e nos fazem pensar...
– ...
– Acontece que Maria Madalena, não apenas aparece nos evangelhos como uma discípula de Jesus aplicada e querida, mas ela é considerada santa pelas igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana, e seu dia é 22 de julho. Ela também é destacada e digna de comemorações pela Igreja Luterana, na mesma data. Não fizemos nada de extraordinário aqui apresentando Santa Maria Madalena a um povo que gosta tanto de santos e santas. Apenas mais uma santa, que não é a Virgem Maria, mãe de Deus, não é?
[21+-+Igreja+Russa++de+Maria+Madalena.jpg]

– ...
– É a fé do povo. Quem vai ser contra? A fé do povo, o catolicismo popular, é uma cultura, muito mais que uma religião. É uma fé que a Santa Sé não controla. E aqui em nossa região, como no sertão em geral, essa coisa de reza é um modo do povo se encontrar e se divertir. Sempre foi.
– ...
– Bem, vamos tomar nosso café. Escrevam o que quiserem do que viram aqui. Apenas do que viram. Sem ilações... Também podem ficar para o almoço.
– Almoooooooço?
– Sim, conforme consta em nosso programa: “6º. Almoço Comunitário de Páscoa da Chapada do Arapari”. O cardápio... Perguntem a Mãe Zefinha aqui, enquanto tomo um cafezinho...

– Coisa simples, de roça mermo meu fío. É  “chuvasquinho” de carneiro. Matemo onte lá na Matinha uns dez carneiro, não foi Lô? Ah, e tombém buchada da carnerama.  Tem mais: umas leitoinha assada no forno de barro. E salada... Cumuchama Lô, aquela dos povo da Dilma, minha rosa...


Ao que Dona Lô ajudou: “Salada chopska (com as cores da bandeira búlgara), uma delícia... Em atenção a Dilma, que a gente não a esquece de jeito maneira! De vez m quando estou tendo uma rusguinha com ela, mas nada que uma conversinha de pé de ouvido não resolva bem. Passa logo. Ela está indo bem. Melhor do que a encomenda. Vai sair o Cartão SUS e o Plano Brasil Sem Miséria...  Ah, a Salada chopska é com queijo feta, feito na Matinha...



Chapada do Arapari, 14 de maio de 2011

ARMADILHA DO Ó
[Jovelino Lopes]

Quando o sanfoneiro é bom, não tem briga no forró
Mulherada cai matando e o homem não fica só
A safadeza lidera e a gente molha o gogó
Mulherada na cerveja fica facinho de ó
Ó ...ó ...ó ...ó .... ó ... ó ...ó ...ó ...ó .... ó ...
Mulherada na cerveja fica facinho de ó


Quando o bailão esquenta levanta poeira do chão
Aí já tem gente ó...pelos cantos do salão
 E a mulher sai a procura de esquentar o mocotó
Chega intimando a gente pra sair com ela e ó
Ó ...ó ...ó ...ó .... ó .... ó ...ó ...ó ...ó .... ó

Chega intimando a gente pra sair com ela e ó
Quando chega a madrugada quase na hora de ir embora
É ó por de traz do muro ó la dentro ó la fora
 Aquele que exagera e cai de boca no copo
De bebado não tem dono é facil chegar um e ó
Ó ...ó ...ó ...ó .... ó ... ó ...ó ...ó ...ó .... ó

De bebado não tem dono é facil chegar um e ó
Tem mulher que é esperta quando termina o forró
Só pra ganhar uma carona diz que mora com a vó
É aí que voce cai na armadilha do ó
Marido dela abre a porta te pega com ela e ó
Ó ...ó ...ó ...ó .... ó ... ó ...ó ...ó ...ó .... ó ...

Marido dela abre a porta te pega com ela e ó

Vídeos
http://youtu.be/v3mW-zg-H24
http://youtu.be/3wI0AR4bDTU

Programação da Semana Santa na Chapada do Arapari
1. Domingo de Ramos. 17:00 - Ladainha e aspersão de água benta nos ramos (Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição)
2. Quinta-feira Santa. 18:00: Drama: Lava-pés (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
3. Sexta-feira da Paixão. 17:00: Ladainha na Capela de Santa Luzia, na Matinha de Dona Lô

4. Sábado de Aleluia10:00: Malhação de Judas (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
5. Domingo de Páscoa10:00. Drama: “As mulheres na ressurreição de Cristo” (Adro da Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Chapada do Arapari)
12:00. 6º. Almoço Comunitário de Páscoa da Chapada do Arapari


Você poderá gostar de ler:
Santa Maria Madalena, a companheira do Salvador

31 comentários:

  1. Mariana Rodrigues14 de maio de 2011 12:26

    Sem muitas palavras: parabéns Dona Lô!

    ResponderExcluir
  2. Oração a Santa Maria Madalena (22 de Julho)

    Santa Maria Madalena, vós que ouvistes da boca de Jesus estas palavras: “Muito lhe foi perdoado porque muito amou... vai em paz, os teus pecados estão perdoados”, alcançai-me de Deus o perdão dos meus erros e pecados, deixai-me participar do ardente amor que inflamou o vosso coração, para que eu seja capaz de seguir a Cristo até o Calvário, se for preciso e assim, mais cedo ou mais tarde, tenha a felicidade de abraçar e beijar os pés do divino Mestre. Como Jesus ressuscitado vos chamou pelo nome: “Maria!” ele chame também pelo meu nome.., e eu nunca mais me desvie do seu amor, com recaídas nos erros do meu passado.
    Santa Maria Madalena, eu vos peço esta graça, por Cristo Nosso Senhor.


    Amém.

    ResponderExcluir
  3. Para mim está claro que Pedro enrolou Maria Madalena e tentou ficar com a herança dos ensinamentos de Cristo só para eles, os apóstolos.

    ResponderExcluir
  4. Eline das Chagas14 de maio de 2011 13:25

    Senti falat do cardápio da Semana Santa na Matinha de Dona Lô, porque sei que foi supimpa...
    No mais, um post lindo

    ResponderExcluir
  5. Uma semana santa com a cara de Dona Lô

    ResponderExcluir
  6. Maria das Graças Reis dos Santos14 de maio de 2011 19:41

    Dona Lô tem razão: Lula foi o sal da Terra pro Brasile Dilma é a flor de sal do Brasil.
    E quem não leu, por favor leia e quem leu, releia o post
    "Dilma é uma flor de sal"
    http://talubrinandoescritoschapadadoarapari.blogspot.com/2011_02_01_archive.html

    ResponderExcluir
  7. Yolanda Gonçalves14 de maio de 2011 20:56

    Uma sugestão é que no próximo episódio Dona Lô nos dê as suas receitas da culinária da Semana Santa da Matinha de Dona Lô, rsrsrsrsr
    Também fiquei curiosa

    ResponderExcluir
  8. Yolanda Gonçalves14 de maio de 2011 20:59

    EVANGELHO DE MARIA MADALENA

    O apego à matéria gera uma paixão contra a natureza. É então que nasce a perturbação em todo o corpo; é por isso que eu vos digo: Estejais em harmonia... Se sois desregrados, inspirai-vos em representações de vossa verdadeira natureza. Que aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça.
    Após ter dito aquilo, o Bem-aventurado saudou-os a todos dizendo:
    Paz a vós – que minha Paz seja gerada e se complete em vós! Velai para que ninguém vos engane dizendo: Ei-lo aqui. Ei-lo lá. Porque é em vosso interior que está o Filho do Homem; ide a Ele: aquele que o procuram o encontram. Em marcha! Anunciai o Evangelho do Reino.
    (Evangelho de Maria Madalena)
    Em 1945, em Nag Hamadi, no alto Egito, foram encontrados, em língua copta, os evangelhos de Tomé e de Maria Madalena. De Maria Madalena, infelizmente, o texto está fragmentado. A presença de tantos textos fragmentados pode ser atribuída, além de outros fatores, aos decretos e recomendações papais solicitando o não uso desses textos pelos cristãos. É conhecido o decreto Gelasiano (referente ao Papa Gelásio - falecido em 496), contendo uma lista de 60 livros apócrifos do Segundo Testamento, os quais os cristãos deveriam evitar. E muitos livros apócrifos foram para a fogueira. Daí a importância de se encontrar um livro como o de Maria Madalena, guardado e conservado por tantos anos.

    As mulheres são importantíssimas no início do cristianismo. Entre elas, destacam-se Maria Madalena, Maria, Mãe de Jesus, Tecla, Verônica. Nos evangelhos apócrifos sobre Maria, Mãe de Jesus, nós encontramos uma mulher diferente da que aparece nos evangelhos canônicos. Se em Atos dos Apóstolos ela é aquela mulher subserviente, que está junto aos apóstolos, mas que não tem liderança, nos apócrifos ela é uma mulher que discute de igual para igual com os apóstolos e que tem liderança entre eles. Tecla, da mesma forma, era a companheira de Paulo na evangelização. Ela batizava. Mas logo no início do Cristianismo a voz de Tecla foi silenciada. Tertuliano, que lutou contra o movimento de mulheres cristãs, no ano 200 E.C., escreveu o seguinte: "... Que elas se calem e que questionem, em casa, os seus maridos".

    Quem é essa mulher? A interpretação "errônea" de outros textos dos evangelhos chegou a identificá-la com Maria irmã de Marta, com a mulher que ungiu Jesus e, o que é pior, com a prostituta, interpretação que ficou mais no inconsciente coletivo. Quem não "aprendeu" que Maria Madalena era prostituta? E como seria bom "desaprender" isso. Tente! E você verá como é bonito descobrir o novo. É isso que está acontecendo com as comunidades e pessoas que já estudaram o Evangelho de Maria Madalena. Elas estão descobrindo a Maria Madalena mulher, discípula de Jesus, líder entre os primeiros cristãos. E porque não "apóstola" e mulher que Jesus tanto amou? É verdade que muitos também se escandalizam com testemunho dado pelo Evangelho de Filipe o sobre o relacionamento entre Jesus e Maria Madalena: "A companheira de Cristo é Maria Madalena. O Senhor amava Maria mais do que todos os discípulos e a beijava freqüentemente na boca. Os discípulos viram-no amando Maria e lhe disseram: Por que a amas mais que a todos nós? O Salvador respondeu dizendo: Como é possível que eu não vos ame tanto quanto a ela? (Filipe 63, 34-64,5). E em outra parte diz: "Eram três que acompanhavam o Senhor: sua mãe Maria, a irmã dela, e Madalena, que é chamada de sua companheira. Com efeito, era 'Maria' sua irmã, sua mãe e a sua esposa" (Filipe 32).

    Creio que podemos compreender isso olhando a cultura e a vida de tantos outros místicos. Francisco e Clara de Assis viveram essa mesma experiência sublime de amor.

    Fonte: Entrevista com o Frei Jacir de Freitas Faria sobre os apócrifos
    http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2005/04/evangelho_de_ma_1.html

    ResponderExcluir
  9. Mariana Rodrigues14 de maio de 2011 22:01

    O Evangelho de Maria Madalena

    Por séculos ela foi considerada uma ex-prostituta arrependida e, embora a Igreja lhe tenha tirado esse título, não falta quem ainda o use. As histórias a respeito dela são das mais variadas e a mais detalhista fala de sua vida ao lado de Jesus. Mas, afinal, o que fala este evangelho e como a imagem de Maria Madalena mudou tanto ao longo do tempo?



    Maria Madalena chamava-se originalmente Maria de Magdala, tendo nascido na referida cidade, situada na costa do ocidente da Galiléia. É descrita pelos evangelhos canônicos como seguidora fiel de Cristo, tendo recebido de um anjo a notícia de sua ressurreição.

    O Evangelho de Maria Madalena foi descoberto no Cairo em 1896. É um texto gnóstico que relata a vida dela ao lado de seu mestre, Jesus. O texto original é grego e data entre os séculos II e III d.C., enquanto sua versão em copta data do século V. Na cópia faltam quatro páginas, sendo estas 1, 6, 11 e 14. Embora o evangelho esteja assinado apenas como Maria, seu segundo nome também é citado no texto, dando indicação, portanto, de que se trata de um suposto testemunho de Maria Madalena.

    Neste evangelho ela é citada como a mais importante apóstola de Jesus, tendo sido exclusivamente contadas a ela certas coisas da parte dele. Maria descreve um diálogo com Jesus, enquanto o evangelho em si ilustra um diálogo com os demais apóstolos, no qual ela narra suas conversas com o Mestre. Maria tentava animar os apóstolos, entristecidos com a idéia de ter de enfrentar dificuldades diversas para espalhar a mensagem de Jesus. Ela teria sido felicitada por ele por ter tido uma visão com o próprio. Jesus conta-lhe uma história ilustrativa, onde a alma superaria “as sete potencias da ira”, ocorrendo-lhe ascensão ao reino celestial após a superação completa e sua consequente libertação deste mundo. Pedro então se levanta entre os apóstolos e indaga sobre o fato de Jesus ter contado tais coisas exclusivamente a Maria. Levi o adverte a não tentar conflitar com Maria, pois, segundo ele, o fato de Jesus ter amado a ela sobre todos os outros indica que eles precisam melhorar espiritualmente. O diálogo se encerra e os apóstolos se dispersam em busca de divulgar os ensinos de Jesus.

    Maria Madalena é citada, portanto, como aquela a quem Jesus mais amou, tendo sido a ela revelados segredos exclusivos por parte do Mestre. Sua presente imagem no texto indica que o autor intencionava mostrar que a Nova Lei, instituída por Jesus, não fazia distinção entre os sexos, rebatendo, portanto os preceitos da Lei Mosaica.

    A Prostituta Arrependida


    Os ensinamentos deste evangelho seriam totalmente reprovados pela Igreja, visto que levantam dúvidas sobre a superioridade masculina no cristianismo, pregada por ela. Além disso, tendo sido o texto escrito por um autor gnóstico, jamais seria aceito pela Igreja, que o deve ter incluído entre os evangelhos considerados heréticos.

    Contudo a imagem de ex-prostituta, atribuída a Madalena, também não tem base nos evangelhos canônicos. Acontece que o Papa Gregório I, afirmou em um sermão seu, em 591 d.C., que a mulher salva do apedrejamento e Maria Madalena eram a mesma pessoa. O engano foi desfeito pela Igreja em 1967, quando a distinção entre as duas foi restituída. Além do mais, a passagem bíblica que descreve Jesus salvando a mulher do apedrejamento é falsa, tendo sido encaixada na Bíblia por algum autor desconhecido no século III d.C., na tentativa de desvincular a lei cristã da judaica, que decretava a pena de apedrejamento. Assim a imagem de Maria Madalena foi sendo moldada através dos tempos. De apóstola amada à prostituta arrependida, hoje ela é celebrada, tendo em sua homenagem o dia de 22 de Julho, dia de Santa Maria Madalena.

    Referências

    http://historia.abril.com.br/religiao/maria-madalena-crucificada-pelo-preconceito-434380.shtml

    ResponderExcluir
  10. O Bolsa Família de Dilma Rousseff
    Marcos Coimbra

    Uma das mais importantes decisões do governo Dilma Rousseff está prestes a se concretizar e poucas pessoas estão sabendo. Até o fim de maio, depois de meses de estudos e reuniões (que contaram com a participação ativa da presidenta), o Programa Brasil sem Miséria deverá ser lançado.
    A meta é ambiciosa: de agora até 2014, acabar com a miséria absoluta no Brasil, mudando radicalmente a vida de 16,2 milhões de pessoas, sua população-alvo. Em nossa história, nenhum governo havia se colocado em um desafio desse porte.
    Pena que algo tão relevante fique em segundo plano nas discussões políticas e nas atenções da mídia. Obcecados com o tema do “retorno da inflação”, ninguém se interessa por outra coisa. Ficamos presos à velha agenda: “Gastos públicos descontrolados”, “fatores de instabilidade” e “limites ao crescimento”.
    Enquanto isso, um programa totalmente novo está em gestação. Se der certo, o Brasil sem Miséria vai ajudar a resolver um problema que sempre consideramos insolúvel e revolucionar a nossa sociedade.
    É algo que Dilma anunciou na campanha como um de seus principais compromissos, mas que passou quase despercebido. No meio de tantas coisas sem pé nem cabeça que estavam sendo prometidas, é até compreensível que isso tivesse acontecido.
    Depois da eleição, uma das tarefas nas quais ela mais se empenhou foi na finalização do programa. A versão que será em breve anunciada tem sua marca pessoal.
    Aliás, na hora de escolher o slogan do governo, ela optou pela frase “País Rico É País sem Pobreza”, no lugar do que Lula preferia, “Brasil: um País de Todos”. O novo programa é bem mais que apenas outro na área social.
    A ideia é simples de enunciar, mas a concretização é complicada. Como disseram suas responsáveis diretas, a ministra do Desenvolvimento Social e a secretária extraordinária para a Erradicação da Pobreza, em entrevista recente, a premissa do programa é que, para erradicar a miséria, é preciso dirigir aos segmentos mais vulneráveis da população ações que assegurem: 1. A complementação de renda. 2. A ampliação do acesso a serviços sociais básicos. 3. A melhora da “inclusão produtiva”.
    Como se pode ver, é muito mais que o Bolsa Família, mas dele decorre. Sem a experiência adquirida nos últimos anos, seria impensável um programa como esse, que exige integração de vários órgãos do governo federal, articulação com estados e municípios e capacidade de administrar ações em grande escala. Além disso, é mais complexo, pois implica desenhar soluções específicas para cada segmento, comunidade ou até família, em vez de lhes destinar um benefício padronizado, por mais relevante que seja.
    Com ele, tomara desapareçam duas coisas aborrecidas de nosso debate político. De um lado, a reivindicação de paternidade do Bolsa Família que Fernando Henrique e algumas lideranças tucanas repetem a toda hora. De outro, as opiniões preconceituosas contra programas do gênero, típicas de certas classes médias, para quem transferir renda é uma esperteza que subordina beneficiários e perpetua a pobreza. Daí a dizer que Lula é produto do Bolsa Família é um passo.
    O curioso na pendência a respeito de quem inventou o Bolsa Família é que o Bolsa Escola, criado no governo FHC, tem sua origem em algo que nasceu dentro de uma administração petista, a do Distrito Federal, quando Cristovam Buarque foi governador. O que foi implantado em Campinas à época em que o tucano Magalhães Teixeira era prefeito tinha pouco a ver com desempenho ou frequência-escolar, pré-requisitos do Bolsa Escola.

    ResponderExcluir
  11. CONT...O Bolsa Família de Dilma Rousseff
    Marcos Coimbra
    Discussões como essa perdem sentido ante o novo. Onde estaria seu DNA peessedebista se o Bolsa Escola era algo tão mais limitado e menor? Como insistir no discurso do “Fui eu que fiz?”
    Aos críticos do maquiavelismo petista, o Brasil sem Miséria responde com sua concepção inovadora e disposição de fazer. Quem levou o Bolsa Família a ser o que é tem crédito para se propor um desafio dessa envergadura.
    Mas o importante mesmo é a perspectiva que se abre de que a miséria seja enfrentada para valer. Essa é uma dívida que o País precisa pagar.

    http://www.cartacapital.com.br/politica/o-bolsa-familia-da-dilma

    ResponderExcluir
  12. Karina Freitas Lopes15 de maio de 2011 23:41

    Dona Lô é uma personagem cativante, bonachona e, sobretudo, politizada. Gosto. Muito especial resgatar Maria Madalena na condição de santa

    ResponderExcluir
  13. Quem sabe, um dia, num futuro próximo (que não pode demorar muito), venha a ser ungida por Dona Lô e convidada para participar desta festança anual, com direito a teatro da vida de Madalena e tudo o mais?
    Tomara que sim! Ainda que tenha que cortar um pedaço da minha orelha, tomara que sim!
    O importante de tudo o que li é a nova visão que se tem da pecadora que virou santa.Quero ter olhos pra ver a versão que é mantida a sete chaves nos buracos do Vaticano.

    ResponderExcluir
  14. Arrepieeeeeei. Achei algo assim espetacular. O Drama foi sucesso total, mas a entrevista de Dona Lô foi demais

    ResponderExcluir
  15. Daniel Costa Ribeiro16 de maio de 2011 13:09

    Muito importante a divulgação e o resgate do Evangelho de Maria Madalena.
    Há um artigo que eu gostaria de recomendar a quem se interessar.

    Sobre o Evangelho de Maria Madalena
    Josenildo Marques

    O Evangelho de Maria de Magdala foi encontrado no Códice de Akhmin, um texto gnóstico e apócrifo do Novo Testamento que foi adquirido pelo Dr. Carl Rheinhardt no Cairo em 1896. A tradução integral do texto só veio à luz em 1955. Embora este Evangelho tenha, no mínimo, 19 páginas, as páginas de 1 a 6 e 11 a 14 estão faltando. Embora o nome do autor não seja mencionado no texto, na literatura popular convencionou-se chamar-lhe de O Evangelho de Maria de Magdala devido ao papel preponderante da personagem em relação aos outros apóstolos. Ele foi escrito num dialeco copta e data do século IV ou V d.C. Há também um papiro em grego antigo com parte do texto e cuja datação remonta ao século III d.C.
    Nesse Evangelho, Maria de Magdala aparece como a herdeira espiritual e principal apóstolo de Jesus Cristo. Ela o vê após a ressurreição e lhe faz várias perguntas. O teor das respostas do Salvador mostra um tipo de Cristianismo visceralmente diferente, repleto de conceitos budistas e taoístas.
    CONTINUA no link:
    http://serinteiro.blogspot.com/2007/03/sobre-o-evangelho-de-maria-madalena.html

    ResponderExcluir
  16. Eu também gostaria de saber o cardápio da semana santa da casa de Dona Lô

    ResponderExcluir
  17. Maria Gorete Machado16 de maio de 2011 19:33

    Juro que eu não conhecia Santa Maria Madalena! Agradeço! Boa estória. Muito criativa

    ResponderExcluir
  18. Susana Israel Brito16 de maio de 2011 21:24

    Bendito acaso do gooogle. Adorei teu blogue. A Dona Lô é fantástica.

    ResponderExcluir
  19. Dona Lô, prosear contigo é bom demais.Vou arrumar as "trouxa" e me picar para tua Matinha, visse?
    Um cheiro.

    ResponderExcluir
  20. Dona Lô é uma pessoa cativante. Uma personagem que encanta. E fiquei feliz de conhecer Santa Maria Madalena. E gostaria de um dia conhecer a Chapada do Arapari e a Matinha de Dona Lô

    ResponderExcluir
  21. Fátima Oliveira é dona de uma imaginação rica e bonita. Dona Lô deslumbra a gente

    ResponderExcluir
  22. Fiquei muito feliz em conhecer Dona Lô

    ResponderExcluir
  23. Massa demais. Adorei Dona Lô e santa Maria Madalena

    ResponderExcluir
  24. Eurídice Ferreira Lopes29 de maio de 2011 13:20

    Fiquei apaixonadinha por Dona Lô, que é um personagem forte, doce, solidária e bonita

    ResponderExcluir
  25. Felipe Rocha Santos30 de maio de 2011 09:56

    Fátima, eu sei que Dona Lô está cansada de tanta perguntação besta, como ela diz sobre a saúde da presidenta Dilma Rousseff, mas os boatos do fim de semana da revista Época, precisam ser falados. Apesard e que concordo com Brizola Neto:
    Época não merece desmentido. Merece processo
    Brizola Neto


    Os médicos Antônio Carlos Onofre de Lira, diretor técnico, e Paulo Ayroza Galvão, diretor clínico do Hospital Sírio-Libanês, por solicitação da Presidenta Dilma Roussef, emitiram agora à tarde um longo e detalhado relatório sobre os atendimentos prestados a ela.
    Tratam em detalhes e com absoluta transparência todo os diagnósticos e terapêuticas relativos a eles.
    O assunto de interesse público – a saúde da Presidenta – foi tratado com uma transparência ímpar. Aliás, sempre foi, mesmo quando ainda candidata.
    Mas não foi transparência o que fez a Época. Foi violação de documentos médicos privados - e cuja divulgação só pode ser feita por autorização do paciente, segundo resolução nº1605/2000, do Conselho Federal de Medicina.
    A revista teria todo o direito de formular perguntas sobre a saúde da presidente a ele ou a seus médicos. Mas está confesso nas próprias páginas da revista que “Época teve acesso a exames, a relatos médicos e à lista de medicamentos usados pela presidente da República”. Não foi, repito, informação sobre assuntos ou políticas públicas. Nem mesmo um diagnóstico ou prognóstico que, por sério, pudesse ter interesse para a sociedade. Foram detalhes personalíssimos, que a ninguém dizem respeito.
    Isso é crime, previsto no Art. 154 do Código Penal. Tanto quanto é crime a violação de um extrato bancário, de qualquer pessoa. Crime para quem viola o que está sob sua guarda, seja um profissional hospitalar ou um gerente de banco, quanto para quem o divulga, sabendo que foi obtido de forma ilícita.
    Não havia um crime a denunciar, um perigo a prevenir, algum direito de pessoa ou da sociedade a proteger, com a divulgação.
    A intenção, prevista na lei de “produzir dano a outrem” está marcada pela fotografia “fúnebre” da capa e pela reunião maliciosa entre o uso de remédios para uma infecção – a pneumonia – com outras situações que nada têm a ver com ela – o hipotireoidismo, por exemplo – e até substâncias de uso tópico para aftas, como o bicarbonato de sódio e o Oncilon.
    Isso nada tem a ver com o dever de dar informações sobre a saúde de uma pessoa pública. Tanto que elas são e foram dadas sempre, nos boletins médicos.
    A motivação foi política: gerar medo, intranquilidade e dúvida sobre sua capacidade de governar. O que se praticou foi um crime – e não apenas um violação ética, o que já é grave – e crimes devem merecer responsabilização.
    Mas, aqui, no país onde o inimigo político é culpado até que prove sua inocência (e olhe lá), pretender que a imprensa aja dentro da lei é “perseguição”.

    PS. Senti falta da nossa blogosfera progressista para falar deste absurdo e do assanhamento tucano em demolir o governo que o povo elegeu. Será o frio que está fazendo hoje? (Em tempo, o Azenha deu divulgação a esta maracutaia farmacêutica da Época).

    ResponderExcluir
  26. Dona Lô, com as minhas desculpas, mas a senhora tem de falar sobre essa matéria da revista Època, que é terrível e criminosa

    ResponderExcluir
  27. Vi um comentário da Mari sobre o conto e o artigo nesse blogue.. que me deixou boquiaberto. Fátima Oliveira que inspiração você teve ao criar Dona Lô, essa sertaneja arretada que em minha opinião deve responder à Época sim. No jeitão dela!

    ResponderExcluir
  28. Júlio César Moreira30 de maio de 2011 15:18

    É Dona Lô, você precisa dar nem que seja uma palavrinha sobre a Época. Vamos lá?

    ResponderExcluir
  29. Rosilda Borges Lameiras30 de maio de 2011 21:11

    Dona Lô, mulher, você não vai defender Dilma, não? Estamos aqui na espera. De mutuca "mermim"! Estou P da vida com essa revista Época, com Pallocci e tudo o mais. Até com Lula que arrumou armas e bagagens para defender Pallocci. Enfraqueceu Dilma ele ter ido rapidão a Brasília para defender o indefensável. Tadinha de Dilma. Não bastasse esse baque, ainda vem essa revista imunda.

    ResponderExcluir
  30. Rosilda Borges Lameiras30 de maio de 2011 21:34

    Estou fazendo essa novena em intenção da presidenta Dilma. Comecei hoje
    .......
    NOVENA DE SANTA MARIA MADALENA

    Reza-se um terço a cada dia, preferencialmente no mesmo horário.
    Após o terço reza-se a oração de Santa Madalena, que segue abaixo.

    Oração à Santa Madalena

    Santa Maria Madalena, vós que ouvistes da boca de Jesus estas palavras: “Muito lhe foi perdoado porque muito amou… vai em paz, os teus pecados estão perdoados”, alcançai-me de Deus o perdão dos meus erros e pecados, deixai-me participar do ardente amor que inflamou o vosso coração, para que eu seja capaz de seguir a Cristo até o Calvário, se for preciso e assim, mais cedo ou mais tarde, tenha a felicidade de abraçar e beijar os pés do divino Mestre. Como Jesus ressuscitado vos chamou pelo nome: “Maria!” ele chame também pelo meu nome, e eu nunca mais me desvie do seu amor, com recaídas nos erros do meu passado.
    Santa Maria Madalena, eu vos peço esta graça, por Cristo Nosso Senhor.
    Amém.

    ResponderExcluir
  31. Dona Lô, mulher, cadê você? Perdeu a língua? Estamos esperando-a

    ResponderExcluir