Visualizações de página do mês passado

terça-feira, 12 de julho de 2011

"Pelas moedas de ouro da amizade", Itamar por Denise

DUKE

A figura humana, o amigo de longa data Fátima Oliveira Médica - fatimaoliveira@ig.com.br

Tancredo Neves disse que "Itamar guarda o ódio na geladeira" e que "a gente tem a eternidade para descansar". Com Itamar Franco no berço da eternidade, "pelas moedas de ouro da amizade", Denise Paiva, assistente social mineira de Juiz de Fora, nos deve um escrito: "O melhor de Itamar" - a figura humana, o amigo de longa data, com birrinhas e turras, de ambas as partes, uma amizade que é um número imperdível, tipo um é o frontal do outro!




Minha empatia com Itamar Franco é gratidão: foi guardião da República (1992-1994) com aquele ar blasé, topete indomável ao vento, como garantia que contra o povo jamais se insurgiria... Se provinciano, sistemático e "de lua" para os políticos, o povo o via de outro modo, vide agradecimento do MST (ele não cumpria liminar de reintegração de posse de terra!), e se deliciava com suas tiradas de ares quixotescos e "robinwoodianos", sem falar no estilo don Juan mais que perfeito!



Acolheu os movimentos sociais, criou a Ação pela Cidadania, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar, a Rede Nacional de Mobilização, a Política de Reforma Agrária (Lei nº. 8.629, de 23.2.1993), a Lei Orgânica da Assistência Social e o Plano Real. E oficializou o pão de queijo no Planalto, uai! Seduziu a Autolatina a relançar o Fusca, por quem nunca morri de amores. Quase comprei um no fuzuê itamariano, não fossem os ecos dos gracejos do Ronaldo ao comprar o primeiro carro, fim dos anos 1970! "Um fuscão preto?" Indignado, retrucou: "Que é isso, tia? Fusca é igual a bunda, todo mundo tem!".




Uma picante arteirice do presidente Itamar foi calar o boquirroto senador Antonio Carlos Magalhães, ao vivo e a cores! Não há o que pague ter visto ACM de crista baixa! Governador de Minas (1999-2002), à revelia do feminismo, tirou do colete um "Conselho da Mulher" nada a ver, o suficiente para que eu não quisesse nem dadas nem tomadas com ele!
De resto, impecável: suspendeu o pagamento da dívida do Estado; não aceitou tropas do Exército "protegendo" a fazenda de FHC em território mineiro; e guarneceu o Palácio da Liberdade com tanques de guerra argumentando que FHC desejava intervir em Minas! Pura animação televisiva!

Denise Paiva

Certa noite, saindo do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, vi Denise Paiva, com quem trabalhei no governo de Luiza Erundina (1989-1993). Nas mobilizações pelo impeachment de Collor, disse-me que trabalhara com o então vice-presidente quando prefeito de Juiz de Fora (1972); e, se ele virasse presidente, petista juramentada, iria para o governo: "Não faltarei ao Itamar numa hora assim!".
E foi! Assessora de Assuntos Sociais da Presidência da República - na prática, ministra poderosa -, pintou, bordou e orquestrou bonito! Nosso reencontro foi uma explosão de alegria: "Estás no governo de Minas?". Ela: "Não, deixei Itamar ir teimar sozinho!". Na casa dela, comilança, vinhos, gargalhadas e lágrimas. Após uma noite acordadas, fomos trabalhar. Embasbacada com os bastidores do poder por ela vividos no governo Itamar, disse-lhe: "Escreve um livro". Ela: "Vou escrever!".

Itamar Franco e Denise Paiva, no lançamento do livro, 1º de julho de 2009, no Museu de Arte Murilo Mendes/UFRJ, Juiz de Fora – MG.


Escreveu "Era Outra História - Política social do governo Itamar Franco: 1992-1994", em que exibe o DNA dos programas de renda mínima. Denise: falta um livro para o povo conhecer mais quem ousou ser um aldeão tolstoiano - "Se queres ser universal, começa por pintar a tua aldeia" -, falando: "O poeta Fernando Pessoa dizia que ‘o Tejo é bonito, porém mais belo é o rio que passa na aldeia da gente’. Eu prefiro o rio Paraibuna ao lago Paranoá".





 



   







Publicado no Jornal OTEMPO em 12.07.2011


22 comentários:

  1. Luís Alfredo Rodrigues12 de julho de 2011 09:36

    Seu artigo faz JUSTIÇA ao grande presidente Itamar Franco

    ResponderExcluir
  2. Eu também acho de Itamart o mesmo que você.

    ResponderExcluir
  3. Mariana Rodrigues12 de julho de 2011 10:20

    Carta do MST à família de Itamar Franco

    Estimados familiares do nosso querido Itamar Franco, infelizmente, a vida tem seu ciclo natural e perdemos nosso querido Itamar. Em nome do MST, manifestamos nossos pesares. Nossa base tem um carinho especial por Itamar Franco.
    Mais do que um homem público irretocável, comprometido com a causa pública, com o povo brasileiro, ele sempre nos atendeu com carinho e amizade.
    Tinha uma sensibilidade social enorme e sempre nos apoiou, mesmo nas batalhas mais duras, enfrentando enormes interesses na questão da Reforma Agrária.
    Sentiremos muito sua falta, mas temos nele sempre um exemplo de homem público, de ser humano solidário e humilde.

    Um forte abraço,
    Joao Pedro Stedile
    Coordenação Nacional do MST

    ResponderExcluir
  4. Pedro Arruda Neto12 de julho de 2011 10:31

    MST se despede de Itamar e lembra seus esforços pela Reforma Agrária
    4/7/2011 21:05, Por Redação - do Rio de Janeiro

    Itamar Franco foi um aliado dos sem-terra na luta pela Reforma Agrária
    Itamar ajudou o MST nas batalhas mais duras pela Reforma Agrária

    A Coordenação Nacional do MST lamenta a morte do presidente da República e governador de Minas Gerais, Itamar Franco, no sábado. Itamar Franco tinha compromisso com a Reforma Agrária e “afeto, respeito e admiração” pelo MST, como manifestou em carta em 2007.
    Ele se orgulhava de ter sido o primeiro presidente da República a ter recebido o MST no Palácio do Planalto.
    “Orgulho-me de nunca ter cumprido nenhuma liminar de reintegração de posse (quando governador de Minas Gerais)”, disse Itamar Franco, em carta ao 5º Congresso do MST em 2007.
    •••••••••••
    Manifesto do MST em homenagem a Itamar Franco
    Itamar Franco, amigo de hoje e sempre
    4 de julho de 2011

    ResponderExcluir
  5. AVE! Mulher, disse tudo o que eu tinha entalado na garganta . Principalmente que le é o Pai do Real e que FHC não é de jeito maneira "Nem pai do menino e nem pai do real", como tá lá no Azenha!!!!

    ResponderExcluir
  6. Maria Inês Lobato12 de julho de 2011 16:16

    Pode crer: é a mais bonita homenagem a Itamar Franco que eu li

    ResponderExcluir
  7. Uaaaaaaaau, isso é uma homengem que só de ler a gente sente que brota do fundo do peito

    ResponderExcluir
  8. Apenas para dizer que você só diz o que pensa. Parabéns por ser uma livre-pensadora

    ResponderExcluir
  9. Joice de Carvalho12 de julho de 2011 22:47

    Fátima fiquei emocionada ao ler a crônica e fiquei a imaginar o quanto esse homem tão bom e justo foi insjustiçado e incompreendido por muita gente

    ResponderExcluir
  10. Fiquei muito feliz ao ler o seu artigo porque faz justiça ao presidente Itamar Franco

    ResponderExcluir
  11. Parabéns! Falam tanto mal do Itamar, só de inveja, que até fiquei assustado com a beleza e a delicadeza de sua crônica.

    ResponderExcluir
  12. Fernanda Souto Monteiro14 de julho de 2011 09:37

    Sempre admirei o presidente Itamar Franco com seu jeito de homem simples.

    ResponderExcluir
  13. Débora Cardoso Magalhães14 de julho de 2011 12:38

    Cara Dra. Fátima Oliveira, parabéns.
    O presidente Itamar Franco foi um grande brasileiro

    ResponderExcluir
  14. Débora Cardoso Magalhães14 de julho de 2011 12:39

    E Denise Paiva, você já a reencontrou depois que escreveu o artigo?

    ResponderExcluir
  15. Gabriela Damasceno Correia14 de julho de 2011 18:23

    Eu nunca havia ouvido falar em Denise Paiva. Talvez por ser muito jovem (19 anos). Mas fiquei encantada com ela e gostaria que ela escrevesse sobre a face Itamar-amigo. Tenho enorme admiração por ele, pelo papel que teve de acolhimento da juventude em seu governo.

    ResponderExcluir
  16. O que mais gosto em você é a sinceridade, a firmeza e a JUSTIÇA

    ResponderExcluir
  17. Parabéns. Itamar foi um presidente nota dez

    ResponderExcluir
  18. Dra. Fátima Oliveira fez justiça ao presidente Itamar Franco

    ResponderExcluir
  19. Fátima a tua alma não é pequena...

    ResponderExcluir
  20. Parabéns Dra. Fátima. Eu também gostava muito do presidente Iatamar, pela mesma gratidão que a senhora.

    ResponderExcluir
  21. Oi Débora Cardoso Magalhães, acabei de falar com Denise Paiva - uma alegria incomensurável. Ficou muito feliz com a minha crônica. Ela agradece todos os comentários.
    Quem desejar comprar o livro dela: " livro Era uma outra história: política social do governo Itamar Franco: 1992-1994, mande email para fatimaoliveira@ig.com.br, que encaminho. Ela pode mandar o livro pelo correio. Ih, esqueci o preço, vou pesquisar...

    ResponderExcluir
  22. Guilherme Natanael Costa25 de julho de 2011 20:16

    Parabéns Fátima Oliveira. Compreendo bem o seu sentimento emr elação ao presidente Itamar porque é o mesmo que eu sinto

    ResponderExcluir