Visualizações de página do mês passado

sábado, 2 de julho de 2016

Saudades do café de tua casa, Maria!

   (Maria Aragão) 
Fátima Oliveira


Maria Aragão* é maior 
que a baía de São Marcos, 
em tudo;
que o Atlântico também, 
em tudo. 
Ela trasbordava a ilha de São Luís. 
Ou a ilha de São Luís era pequena demais 
para caber Maria...



  (Baía de São Marcos)



Tinhosa, que só ela. 
Leal, que só ela. 
Principialista, que só ela.
Teimosa, que só ela.
Amiga, que só ela. 
Solidária, que só ela. 
Encrenqueira, que só ela.
Mas o maior defeito que eu via em Maria, 
ela considerava a sua maior virtude: 
era uma "prestista" inveterada
– uma seguidora acrítica de Prestes, 
de olhos vendados... 
Fazer o quê, não é?
Gente sem defeito 
não é humana.

Quero dizer que 
. era doce ouvir Maria horas a fio.
Sobre qualquer assunto, 
mesmo que ela falasse tudo diferente 
do que a gente pensava; 
. era fácil discordar de Maria, 
porque ela era uma adorável sectária;
. era impossível não se enternecer com Maria,
mesmo quando ela jorrava palavrões dirigidos a mim;
. era possível amar Maria,
profundamente, 
entendê-la jamais! 
Saudades do café de tua casa, Maria!


* (1910-1991)
Belo Horizonte, 30.09.2007

________________________________________


* Maria José Camargo Aragão (MARIA ARAGÃO)

"Maranhense nascida em 10 de fevereiro de 1910, no povoado de Engenho Central (hoje Pindaré-Mirim), médica e militante comunista...
Maria decidiu ser comunista após assistir ao comício realizado pelo PCB, com a presença de Luís Carlos Prestes e do poeta chileno Pablo Neruda, no dia 23 de maio de 1945, no Estádio São Januário, do Vasco da Gama... 
Viveu em casas alugadas, mas sua porta era sempre aberta e na mesa não faltava pão para os pobres, a famosa 'Boca Livre de Maria'...
Vendeu bilhetes de feijoada, arrecadando fundos para campanhas contra o câncer e as edições do jornal Tribuna do Povo. Questões ideológicas a afastaram do PCB, mas não das hostes prestistas... 
Gostava de música, herança talvez da mãe, que tocava violão e cantava nas poucas horas de lazer. Por isso, era comum estar sempre cercada de artistas, entre seus admiradores. Em 1989, desfilou na Favela do Samba, que a homenageou com o enredo SONHO DE MARIA... 
Maria Aragão, cuja história é marcada pela sua apaixonada atuação nas lutas sociais e políticas do nosso Estado – contra o vitorinismo, o sarneísmo e as mentiras palacianas –, faleceu em São Luís no dia 23 de julho de 1991, deixando lições de vida que os inimigos da justiça social fazem questão de esquecer." ** 
Maria Aragão foi uma expressiva liderança do Partidão (PCB) no Maranhão. Foi presa e torturada pela Ditadura Militar de 1964. Feminista, fundou o Grupo de Mulheres 8 de Março. Foi fundadora e dirigente da Central Única dos Trabalhadores no Maranhão. Nos últimos anos de vida era filiada ao PDT. 


** Dados extraídos de: Maria, um Enrêdo de Lutas. César Teixeira, 10 fevereiro de 2004

Disponível em: www.tribunadacidadania.com.br/2004/2/10/Pagina568.htm 



maria-aragao1    Maria Aragão, a eterna HEROÍNA do Maranhão, por Abimael Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário