Visualizações de página do mês passado

terça-feira, 20 de maio de 2014

O Estado brasileiro doou a minha vida para os bancos!

01  (DUKE)
Pelo tal empréstimo, temos o "direito" uma dívida vitalícia
Fátima Oliveira
Médica - fatimaoliveira@ig.com @oliveirafatima_

 
“Aqui é fulana de tal, do setor do INSS do banco tal. Agora que a senhora está aposentada, o INSS colocou à sua disposição um empréstimo consignado de valor tal...”. São meses de desassossego, desde que o INSS homologou a minha aposentadoria, em 8.1.2014, que eu soube pelos telefonemas dos bancos, não apenas de Minas, mas de vários Estados do país, muitos dias antes de receber o comunicado do INSS!
Fiquei irada e impressionada desde o primeiro telefonema porque a moça sabia não apenas o meu telefone residencial, mas o dia da homologação e o valor mensal de minha aposentadoria, o montante do retroativo a setembro de 2013, quando fiz 60 anos, em qual banco eu receberia e a partir de quando! Fiquei atônita com a exposição da minha vida a um clique nos computadores de todos os bancos do país! Achei um abuso. Mas eu mal sabia que o assédio moral apenas começara... 
 
 
Dia do Aposentado
 
Tenho sido assediada moralmente pelos bancos numa dimensão incomensurável desde que o dia amanhece! A insistência das funcionárias é algo de proporções abissais! Segurei a onda o quanto pude. Fui perdendo a paciência. Passei a cortar a fala tão logo diziam: “Aqui é fulana de tal, do setor do INSS...”. Mas as moças não se dão por vencidas!
 
 
"E quando a gente diz
não, enveredam por
algo surreal e mais invasivo,
indagando: “A senhora tem casa? 
Tem carro? Não quer
trocá-lo por um zero?"
 
 
aposentadoria  Crendo que toda pessoa velha é babaca e facilmente enrolável, entram de sola na tentativa de convencimento das coisas maravilhosas que poderemos comprar com aquela “dinheirama” que oferecem colocar na nossa conta em dois dias, adiantando as graças da renovação “ad aeternum” do empréstimo, antes que acabemos de pagá-lo! Fiquei a imaginar que o tal empréstimo consignado “rotativo”, no qual temos o “direito” a uma dívida vitalícia, só pode ser um negócio da China para os bancos!
 
 
      E quando a gente diz não, que, quando quiser, fará no banco onde recebe, enveredam por algo surreal e mais invasivo, indagando: “A senhora tem casa? Não quer reformá-la? Tem carro? Não quer trocá-lo por um zero? Já foi à Europa? A Nova York? Dizem que é lindo o Leste Europeu, a senhora já foi?”. Estava de lua e enchi a medida: “Para, querida, conheço mais de 50 países. Não quero mais viajar!”.
 
 
Idade Necessária para se Aposentar
Súmula 44 trata da carência para aposentadoria por idade urbana
 
Chegam ao acintoso desplante: “Olhe, pense bem, a senhora não está precisando, mas pode ter um parente, filho ou filha, precisando e agora pode ajudar! Não quer mesmo ajudar alguém necessitado da família?”. Achei que era um carma! Fui tentando responder com educação, mas na última semana mudei de tática. Perdi a esportiva. Nem sequer sabia que tínhamos essa montanheira de bancos no Brasil!
 
 
  A cada novo telefonema estou pedindo para riscarem meu nome da lista porque vou processar o governo e os bancos por invasão de privacidade e assédio moral. Enfatizo que é uma imoralidade o que os bancos estão fazendo com a posse dos meus dados financeiros...
Ao que elas respondem: “Senhora, estou fazendo o meu trabalho!”. Eu: “Sei, mas ele é imoral: invade a minha privacidade, faz chantagem contra o meu modo simples de viver, checa a minha resistência ao consumismo, induz-me a gastar mais do que posso como aposentada, ao insistir em ‘fazer a minha cabeça’ para coisas/necessidades que não tenho, além do que toma o meu tempo! Não quero ficar pendurada em bancos, entendeu?”.
Estou decidida a registrar queixa na polícia a cada novo telefonema. Vou engolir a raiva, anotar os dados e registrar um BO por invasão de privacidade. Os bancos, a partir de hoje, estão avisados. Exijo que não liguem para a minha casa, sob pena de processo por assédio e danos morais!
 
Dia do Aposentado  PUBLICADO EM 20.05.14
 FONTE: OTEMPO

6 comentários:

  1. Tem razão. Estão extorquindo aposentados com chantagem

    ResponderExcluir
  2. É impressionante. Eu não tinha a dimensão também do assédio bancário sobre pessoas aposentadas. É um absurdo a caçada que estão fazendo aos aposentador

    ResponderExcluir
  3. Jane Albuquerque20 de maio de 2014 09:42

    Fátima, já passei por tal assédio.Não acaba nunca. A presidenta Dilma precisa nos dar sossego

    ResponderExcluir
  4. Comentário do Leitor Hudson Lacerda21 de maio de 2014 20:40

    ---------- Mensagem encaminhada ----------
    De: Hudson Flavio Meneses Lacerda
    Data: 21 de maio de 2014 12:33
    Assunto: O Estado brasileiro doou a minha vida para os bancos!
    Para: fatimaoliveira@ig.com.br


    Oi Fátima,


    Sou leitor de seus textos. Esse último, sobre a invasão bancária da vida
    dos brasileiros aposentados me chamou a atenção porque existe uma outra área em que dados pessoais estão sendo ilegalmente vazados por órgãos públicos irresponsáveis.

    Trata-se dos dados eleitorais (sim, aquele gigantesco banco de dados
    cadastrais que são atualizados a cada dois anos, antes de cada eleição).

    Só saiu na grande imprensa notícia sobre um acordo do TSE com a
    multinacional Serasa/Experian, que foi cancelado após ser denunciado:

    http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/ex-corregedora-do-tse-nega-responsabilidade-em-acordo-com-serasa,4d34fe836a460410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

    Mas há outros acordos ilegais do TSE, com a Polícia Federal e o
    Ministério da Justiça. O TSE é proibido por lei de compartilhar os dados
    do cadastro eleitoral com quaisquer entidades, públicas ou privadas. E,
    agora, com o recadastramento biométrico, o TSE está recolhendo dados dos eleitores em um formato combinado com o FBI -- inclusive o próprio
    edital de compra dos equipamentos biométricos exige que os equipamentos e softwares sejam certificados pelo FBI:

    http://www.cic.unb.br/~rezende/trabs/biometriaTSE.html

    Para mim é óbvio que isso não tem absolutamente nada a ver com
    necessidades eleitorais ou combate a fraudes. O que mais vale dinheiro
    hoje em dia são perfis de personalidade -- é disso que vivem empresas
    vigilantistas e daninhas como Facebook e Google.

    A propósito, convido você (especialmente se você por acaso mais uma
    vítima da Facebook) a conhecer mídias sociais descentralizadas e livres,
    como a Diaspora* :

    http://www.anahuac.eu/?p=382


    Abraços,
    Hudson Lacerda (Contagem/MG)

    ResponderExcluir
  5. Desejo e vou lutar para que a presidente Dilma tome providências para que o direito à privacidade seja respeitado integralmente

    ResponderExcluir
  6. Muito forte como denúncia. Mas é real

    ResponderExcluir