Visualizações de página do mês passado

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A filosofia da arte e o valor terapêutico de cuidar do bonsai


















PODE AJUDAR A EXERCITAR A PACIÊNCIA NESTE MUNDO DE PRESSA
Fátima Oliveira
Médica - fatimaoliveira@ig.com @oliveirafatima_

Achava os bonsais belos e intrigantes, todavia, não sentia atração para cuidar de um, pois os via como uma escravização da natureza, pois a arte do bonsai é um aprisionamento do potencial de um "vir a ser", já que, conceitualmente, é uma miniaturização artificial de uma árvore, um arbusto ou uma trepadeira lenhosa, conservando "a beleza e o volume da planta em seu porte original, inclusive com floração e frutos". Em linhas gerais, um bonsai deve ter entre 30 e 60 cm de altura. Uma nova classificação de bonsais é a que se segue: mini, até 15 cm; pequenos, 15 a 30 cm; médios, 30 a 60 cm; e grandes, maiores que 60 cm.





Nunca aspirei a ser uma bonsaísta, porém, o meu jeito para lidar com plantas levava muita gente a indagar por que eu não cultivava bonsais. Dizer que eles não me seduziam era um posicionamento, digamos, filosófico, difícil de explicar. Desde que me entendo por gente, tenho plantas. Quando criança, fiz um jardim de latas, plantava até em latas de sardinha, no saguão da casa da vovó, onde havia um pé de uva num caramanchão; um pé de magnólia, de cujas flores o cheiro invadia a casa ao anoitecer; e, ao lado da cozinha, havia uma frondosa laranjeira. Dizem que, quando eu nasci, ela já estava ali.

img (Magnólia ou Trombeteira)Trombeteira, trombeta de anjo.Imagens de Stock Royalty Free: Flor de trombeta. Imagem: 14958399



Não vivo sem um jardinzinho todo meu. É um conforto mental regar minhas plantas. Relaxo, renovo... Ora, como não ter uma planta para cuidar? Eu não consigo. Tê-las é uma terapia, um relax... Na época do modismo das samambaias, cheguei a ter muito mais de 50 xaxins num caramanchão diante da minha casa, de fachada mediterrânea, na Quinta de Ouro, em Imperatriz (MA), sombreados pela trepadeira "lágrima-de-cristo", plantada por mim. Era um oásis estender a rede debaixo delas e ficar lendo, lendo... até dormir. Pena que aproveitei pouco, pois era uma época em que eu trabalhava demais...


(Trepadeira Lágrima-de-cristo)

Não gosto de comprar plantas "prontas", o meu prazer é fazer mudas e vê-las crescer, florescer... Não entendo alguém não ter um vasinho em casa! Casa sem plantas é a imagem do deserto. Acho que, de tanto furdunço de plantas em casa, fiquei atônita quando fui pela primeira vez às casas de minhas filhas: nenhum verdinho! Ah, reclamei, pois achei um absurdo! "Ah, mãe, aqui é tão minúsculo e a senhora ainda quer entupir de plantas? Ô mania de roça!".



  Jardim de latas da Helô 

Não é propriamente mania de roça. Por outro lado, é mania sertaneja... E elas, as minhas filhas, não são sertanejas... Não sabem o quanto as sertanejas correm léguas atrás de qualquer latinha para plantar, ter um pé de "fulô"... "Mamãe, meus brinquedo/Meu pé de fulô?/Meu Deus, meu Deus/Meu pé de roseira/Coitado, ele seca/E minha boneca/Também lá ficou..." ("Patativa do Assaré", na voz de Luiz Gonzaga).
Elas não sabem o quanto é doce relembrar as singelas e pueris alegrias de quando eram crianças e eu chegava em casa, quase sempre na hora do "Jornal Nacional", tomava banho, vestia um short, pegava a mangueira: "Vamos molhar as plantinhas da mamãe?". Era, literalmente, uma festa... Todo mundo queria segurar a mangueira ou o regador um pouquinho. Como as meninas não introjetaram tal prazer?




(Serissa)

Mas, voltando aos bonsais, evoluí. Mudei de opinião. Recentemente, resolvi ter um bonsai para cuidar. Um não, dois: adquiri um asiático, serissa, e um nordestino: bougainvillea ou primavera. Estou convencida de que cuidar de um bonsai envolve ciência e arte e pode ajudar a exercitar a paciência. E, num mundo de pressa como o de hoje, a paciência é uma necessidade para o bem-estar e para a expectativa de vida florescer.


Publicado no Jornal OTEMPO em 18.12.2012

6 comentários:

  1. Luís Eugênio Cardoso18 de dezembro de 2012 07:18

    Uma crônica bonita. Ricamente ilustrada. Parabéns. Conheço a magnólia como Trombeta, trombeteira, trombeta de anjo, canudo, lírio, zabumba, saia-branca. Mas só conhecia a branca. Havia um pé na casa em que nasci. Cheira muito realmente.

    ResponderExcluir
  2. Fátima, a Magnólia, como tu a conheces, é uma planta medicinal.
    TROMBETEIRA
    Brugmansia suaveolens

    Descrição : Planta da família das Solanaceae. Também conhecida como babado, cartucheira, cartucho, copo-de-leite, saia-branca, sete-saias, trombeta-de-anjo, trombeteiro e zabumba-branca. É um arbusto utilizado como planta ornamental devido às suas grandes flores em forma de trombeta. A trombeteira é um arbusto grande e ereto, que atinge facilmente 2 ou 3 metros de altura. Suas folhas são grandes, ovais, alternas, caducas, verdes e pubescentes na face infeiror. As flores em formato de trombeta, são pêndulas, simples, perfumadas e podem ter cerca de 30 cm de comprimento. São em geral de coloração branca ou amarela, mas ocorrem variedades e híbridos de flores róseas e dobradas também.

    Parte utilizada: folhas, flores, sementes.

    Origem: América Central e América do Sul.

    Plantio : Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, arenoso e enriquecido com matéria orgânica, regado a intervalos regulares. As adubações devem preceder a floração e as podas devem ser realizadas após a floração. A trombeteira aprecia o calor e a umidade, e é comum observá-lo naturalmente na beira de riachos. Podemos plantá-lo sob meia-sombra, mas as flores podem se tornar esparsas nesta situação de luminosidade. Não tolera o frio intenso, mas podem ser cultivadas em estufas. Multiplica-se por sementes e estaquia.

    Princípios Ativos: alcalóides (daturina, atropina, atropamina, hiosciamina, escopolamina, norscopulamina, meteloidina), ácido acético, ácido aconítico, ácido ascórbico, ácido caféico, capsidol, ácido clorogênico, ácido cítrico, ácido ferúlico, ácido fórmico, ácido fumárico, ácido glicóico, ácido láctico, ácido lignocérico, ácido linoleico, ácido málico, ácido oléico, ácido esteárico, ácido sucínico, butanol, datugenina, esculetina, etanol, flurodaturatina, glucose, potássio-nitrato, proteína, sitosterol, taninos.

    Propriedades medicinais: antiasmática, anticonvulsivante, cardiotônica, dilatadora, emética, narcótica.

    Indicações: de alguns compostos da flor fabrica-se remédios para mal de Parkinson, infecções urinárias, problemas cardíacos, síndrome pré-menstrual, overdose de colinérgicos.

    Contra-indicações/cuidados: gestantes, nutrizes, crianças. Pode ocorrer náusea, vômito, pele quente, seca e avermelhada, rubor facial, mucosas secas principalmente ocular e bucal, taquicardia, convulsão mental, mudanças repentinas de comportamento, alucinações com visão de formas e cores variadas, vertigem, delírio acompanhado de convulsões, aumento da pulsação, dilatação da pupila e embaçamento da visão, diminuição das secreções, lentidão de reflexos e retenção urinária, diminuição de reflexos e exercício motor da medula, paralisia dos músculos estriados e excitação os músculos lisos. A ingestão sem a supervisão de um especialista pode levar à morte. Do socorro deve constar: o esvaziamento gástrico desde que seja feito em tempo útil. A lavagem gástrica deve ser enérgica e precoce. A hipertemia deve ser tratada com medidas físicas (bolsas de gelo, compressas úmidas, etc.) pois em geral são ineficazes os analgésicos. Diazepínicos podem ser utilizados para controle da agitação psicomotora muito intensa. Correção dos distúrbios hidroeletrolíticos e metabólicos e assistência respiratória são procedimentos importantes. Administrar fisostigmia para pacientes graves, pois os efeitos colaterais são significativos.

    Modo de usar: cigarros das folhas secas: bronquite (trás efeitos narcóticos).

    Read more: http://www.plantasquecuram.com.br/ervas/trombeteira.html#ixzz2FOTagkxF

    ResponderExcluir
  3. Fátima bonsai tem muito de ciência e de arte. E cultivar bonsai é uma terapia

    ResponderExcluir
  4. Gosto de bonsais, mas não tenho paciência para cultivá-los

    ResponderExcluir
  5. Fátima, eu amo bonsais. Já até tentei cuidar de alguns, mas achei complicado, então dooei os meus 3 pré-bonsais - tinham menos de três anos e hoje eu os aprecio na casa de minha mãe. Cuidard e plantas é uma terapia mesmo

    ResponderExcluir
  6. Achei maravilhoso. Parabéns pelos bonsais

    ResponderExcluir